Publicidade

Correio Braziliense ADORÁVEIS MORIBUNDOS

Universo fantástico dos zumbis rende histórias imaginadas por mestres da literatura e ilustradores


postado em 29/01/2010 08:26

Sem pretensão de serem charmosos, os zumbis devem ascender dos submundos ao universo pop das livrarias e bancas de revistas com humor e irreverência. A receita tem dado certo. De acordo com levantamento do jornal USA Today, eles compartilharam com os vampiros a presença em 17% dos livros vendidos naquele país. O crescimento é gradual desde 2008, quando estavam em 14% dos títulos lançados. Em 2007, a participação era restrita a apenas 2% do mercado.

A febre literária é a aposta da editora Intrínseca, que lança no Brasil, em março, o best-seller norte-americano Orgulho e preconceito e zumbis. Adorador da obra de Jane Austen, o escritor Seth Grahame-Smith aproveitou a entrada do texto em domínio público para modificar a história. O resultado foi um livro híbrido, com 85% do original, ambientado em uma Inglaterra onde zumbis ultraviolentos e humanos coexistem. "Soubemos que havia movimentação nos Estados Unidos em torno desse lançamento e analisamos a história, que é sensacional. O livro é muito elegante, parece que você está lendo Jane Austen, mas aparecem uns mortos-vivos. Isso agrada ao público de todas as idades, até quem gosta de literatura clássica", explica Jorge Oakim, dono da editora Intrínseca. O editor é o mesmo que apostou na publicação nacional da série Crepúsculo, de Stephanie Meyer, e espera boa recepção para a tiragem inicial de 10 mil exemplares. O Brasil será o terceiro país a receber o mash-up literário de Austen e Smith. Nos Estados Unidos, país de origem do escritor, o livro se sustentou por 39 semanas na lista dos mais vendidos e abriu o mercado para novas adaptações, como Sense and sensibility and sea monsters (Razão e sensibilidade e monstros marinhos), dos mesmos autores, e Android Karenina, junção de textos de Leon Tolstói e Ben H. Winters. O sucesso alcançou os estúdios de cinema. Os direitos de Orgulho e preconceito e zumbis foram comprados pela Lionsgate para um potencial blockbuster que terá Natalie Portman no principal papel. Também há uma adaptação prevista para os quadrinhos a ser lançada pela editora americana Del Rey em março.
<i>Desejos carnais</i> é o quarto volume da graphic novel <i>Os mortos-vivos</i>(foto: HQM Editora/Divulgação )
Desejos carnais é o quarto volume da graphic novel Os mortos-vivos (foto: HQM Editora/Divulgação )
Aproveitando a onda pop dos mortos-vivos, a Rocco também já arregaçou as mangas para 2010. Ainda na maré vampiresca, a continuação do juvenil Prazeres malditos, O cadáver que ri, aposta na junção do universo dos sanguessugas com o dos zumbis. A editora também prevê, para o meio do ano, a publicação de A guerra do mundo zumbi. Escrito por Max Brooks como sequência de Guia de sobrevivência aos zumbis, lançado também pela Rocco, o best-seller americano apresenta depoimentos fictícios sobre um apocalipse zumbi e também chegará aos cinemas. A adaptação para as telonas sairá em 2011 pela distribuidora Paramount, com produção da Plan B, empresa de Brad Pitt. Aventuras ilustradas Terreno frutífero para a criação de histórias fantásticas, os quadrinhos nunca deixaram os mortos-vivos de fora das páginas. Com leitores fiéis, sempre ligados às novidades lançadas fora do país, as editoras brasileiras agarraram o tema (e o público) ao se anteciparem aos outros meios em relação à moda. Desde 2006, a HQM publica no Brasil a premiada série Os mortos-vivos, saga em graphic novel escrita por Robert Kirkman (Invencível, Grandes encontros Marvel). De forma análoga a Ensaio sobre a cegueira, romance do português José Saramago, a história acompanha um grupo perseguido por zumbis refugiado num complexo penitenciário de segurança máxima. Sob as lentes do policial Rick Grimes, Kirkman dispara críticas sociais camufladas nas irônicas leis estabelecidas pelos sobreviventes. O primeiro volume, Dias passados, vendeu 3 mil exemplares no Brasil e foi sucedido por Caminhos trilhados, Segurança atrás das grades e Desejos carnais, o último deles lançado em novembro de 2009. "A intenção é publicar mais dois volumes em 2010. Entretanto, como integramos uma editora de pequeno porte e temos muitas demandas de novas impressões, não fechamos a pauta do ano", justifica o editor-chefe da HQM, Carlos Costa. A relação entre Robert Kirkman e os zumbis é bem particular. Desde 2005 ele está imerso no universo dos cadáveres ambulantes com a série Marvel zombies. Na história, Capitão América, Homem de Ferro, Homem-Aranha, Hulk, Wolverine e companhia têm correspondentes zumbis em um universo paralelo, onde todos os heróis foram atingidos por um vírus alienígena que os transformou em cadáveres racionais famintos por carne humana. A trama ganhou espaço no Brasil pelas páginas da HQ Marvel Max, da Panini Comics. A edição 77, nas bancas, é a vigésima a publicar as aventuras dos heróis canibais. Quadrinhos Zumbis Marvel Série com heróis da Marvel Comics transportados para o universo zumbi. Com história de Robert Kirkman (Invencível), a trama começa quando um vírus alienígena chega à terra e transforma todos em zumbis. As capas, desenhadas por Arthur Suydam, são releituras de edições históricas da Marvel. No Brasil, a série é publicada mensalmente pela Panini desde 2007 na revista Marvel Max, voltada para o público adulto, e está na 20ª edição. Os mortos-vivos - Volumes 5 e 6 A saga do policial Rick Grimes, que acorda de um coma na cidade infestada de zumbis famintos, serve de premissa para discutir vida em sociedade, criminalidade e política. Aposta da editora HQM, Os mortos-vivos já teve quatro edições lançadas no Brasil. A história do escritor Robert Kirkman (Invencível) rendeu o prêmio inglês Eagle de melhor HQ americana em preto e branco. O lançamento dos números 5 e 6 está previsto para 2010, mas ainda sem mês definido.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade