Publicidade

Correio Braziliense

Udigrudi brinca com a evolução humana


postado em 26/03/2010 08:44

Máquinas malucas e musicais giram pelo palco do Teatro Plínio Marcos do Complexo Funarte. São comandados pelos palhaços do Circo Teatro Udigrudi, que estreiam amanhã, em apenas quatro sessões, Devolução industrial, o aguardado espetáculo que sucede o premiado Ovo. Com forte viés crítico, a montagem questiona a evolução da raça humana e seus progressos industriais. Para onde o homem caminha, diante de tanto desdobramento tecnológico. Em cena, Marcelo Beré, Luciano Porto e Joana Abreu (o sangue novo que acaba de entrar no grupo de 28 anos). Márcio Vieira, responsável pela criação dos instrumentos musicais, desta vez, ficará nos bastidores, comandado pela diretora Leo Sykes.

Luciano Porto, Joana Abreu e Marcelo Beré em Devolução industrial(foto: Débora Amorim/Divulgação )
Luciano Porto, Joana Abreu e Marcelo Beré em Devolução industrial (foto: Débora Amorim/Divulgação )
A ideia é amadurecer o projeto em festivais e temporadas. Já é certo que Devolução industrial, seja apresentado no Festclown, um dos mais importantes encontros internacionais de palhaços, que acontecerá em abril em Brasília, sob a batuta do Sesc. Vale a pena prestar a atenção na luz de Guilherme Bonfanti (premiado iluminador do Teatro da Vertigem). Os arranjos musicais são de Valéria Lehmann. "Será uma apresentação fechada para estudantes. Por isso, é importante que o público brasiliense assista ao espetáculo nesta estreia", destaca Leo Sykes. As sessões ocorrem amanhã e domingo, às 16h e às 20h, com ingressos a preços populares (R$ 10 e R$ 5 - meia). Não recomendado para menores de 7 anos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade