Publicidade

Correio Braziliense

Samba oriental


postado em 18/05/2010 07:00

A bossa nova hoje é mais cultuada no Japão do que no Brasil. Foi a partir desse estilo sofisticado e intimista que a nipônica Masako Tanaka, nascida em Kobe, descobriu a MPB, na década passada. Logo depois formou o Telecoteco, grupo com o qual trabalhou até 2001, quando veio para o Brasil e radicou-se no Rio de Janeiro. Desde então, apaixonada pelo samba de raiz, vem dedicando-se ao gênero e pesquisando a obra dos seus criadores.

Masako Tanaka (C), com o grupo Sushi na Brasa: amor ao samba(foto: Fábio Maciel/Divulgação)
Masako Tanaka (C), com o grupo Sushi na Brasa: amor ao samba (foto: Fábio Maciel/Divulgação)
Em 2009, Masako gravou Algumas cores, o primeiro disco, que vai ser lançado em show hoje, às 13h (com entrada franca) e às 21h, no teatro do Centro Cultural Banco do Brasil, pelo projeto Alma brasileira (1), aberto na última terça-feira pelo violinista francês Nicolas Krassik. “Adoro Brasília. Fiz show no CCBB com o grupo Piano Orquestra, cantei no bistrô Bom Demais e na creperia C’est Si Bon, e fui muito bem recebida pelo público”, comemora.

Na companhia da cantora estará o grupo Sushi na Brasa, formado pelos músicos cariocas Alessandro Valente (cavaquinho, arranjos e direção musical), André Belienny (violão sete cordas), Dudu Oliveira (flauta, sax e bandolim) e Netinho Albuquerque (percussão). Haverá a participação especial do baterista Robertinho Silva. “Conheço essa galera desde 2004 e temos feito muita coisa juntos. Ter o Robertinho como convidado é um luxo, tanto no CD quanto no show”, afirma.

Com 13 faixas, o Algumas cores traz somente uma música conhecida do grande público, o clássico Você já foi à Bahia, de Dorival Caymmi. “A grande maioria dos sambas que gravei é fruto da pesquisa. Quis conhecer de forma mais aprofundada a obra de grandes mestres da música popular brasileira”, explica. Assim, ela incluiu no repertório Cansei de pedir (Noel Rosa), Que sejas bem feliz (Cartola), Pra fazer um bom café (Baden Powell e Vinicius de Moraes).

“Há duas composições minhas no CD e uma delas, Manauara voltamar, teve a participação de Robertinho Silva. Busquei com esse trabalho deixar claro a minha paixão pelo samba, a minha admiração pelos ritmos brasileiros. A princípio tive muita dificuldade para aprender e assimilar a língua portuguesa. Ainda não falo e canto com a fluência que gostaria, mas espero que quem venha a ouvir o disco entenda e goste. Espero, também, ver muitos brasilienses na plateia do show”, torce.

Masako Tanaka

Show da cantora japonesa e a banda Sushi na Brasa pelo projeto Alma brasileira, hoje, às 13 h (com entrada franca) e às 21h, com ingressos a R$ 15 e R$ 7,50 (meia entrada para estudantes, pessoas com idade acima dos 60 anos, clientes e funcionários do Banco do Brasil. No teatro do Centro Cultural Banco do Brasil (Setor de Clubes Sul). Classificação indicativa livre. Informações: 3320-7087.

1 - Nova roupagem

A ideia do Alma brasileira é levar músicos e intérpretes estrangeiros a lançar o olhar sobre o vasto e rico universo da música popular brasileira, e a partir disso fazer releituras e criar novas composições. Os próximos convidados serão o guitarrista uruguaio Leonardo Amuedo e o contrabaixista norte-americano Ron Carter.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade