Publicidade

Correio Braziliense CRIA DA CIDADE

Corpo multimídia


postado em 01/07/2010 07:00


Willian Lopes entende que corpo do ator não se limita à massa muscular. É matéria que se expande e desafia as leis da natureza. Tanto que ele não achou suficiente a demonstração feita para a câmera do Cria da Cidade — realizada em chão firme da Universidade de Brasília (UnB), onde se formou em bacharel em artes cênicas.

— Será que eu posso mostrar as técnicas verticais que pesquiso?, propôs.

Pode, claro. Uma semana depois, marcamos outra tomada. Agora, no Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul). Lá, Willian fixa a corda numa viga do galpão de ensaios, prende o cinto e voa de um canto ao outro. Gira em acrobacias e as imagens mostram um intérprete que não se limita. Capaz de fazer do clássico de Dostoiévski à performance nas alturas.

—- Sempre foquei a minha pesquisa no corpo do ator, do que se pode produzir em cena com um treinamento físico, observa.

Willian tem experimentado um diálogo com a cidade, ou melhor, as cidades, já que vive entre os endereços de São Paulo e Brasília, onde atua em frentes teatrais diferentes. Lá, aliou o projeto dramático aos arranha-céus da megalópole em Anjo louco, concepção premiada pela Bolsa Funarte. Trabalhou em parceria com o grupo Ares Ateliê de Performances, onde fez intervenções na capital paulista. Agora, está em Brasília para estrear Cartas de um anjo louco, com 12 apresentações abertas no Plano Piloto, Taguatinga, Samambaia e Ceilândia pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC), agendadas para o mês de setembro.

— Desenvolvi um diálogo produtivo em São Paulo. Assim que terminar o trabalho aqui, retorno. Mas ficarei na ponte-aérea, conta.

Integrante da nova geração de atores da cidade, Willian Lopes se destacou recentemente em Sonho Macbeth , realizado no Museu Nacional Honestino Guimarães. Vem também desenvolvendo série de cursos de formação de atores no Espaço Mosaico. Ali, ensina que teatro no século 21 é um híbrido entre muitas linguagens. Assim, como ele faz, numa corda de alpinismo ou de rapel, com projeções multimídias ao fundo, dialogando com a arquitetura das cidades.

Assista ao Cria da Cidade com Willian Lopes, hoje, a partir das 17h, no Correio Notícias, com apresentação de Maria Julia Mendonça.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade