Publicidade

Correio Braziliense

Os anjos de Adoniran

Com 66 anos de existência, o grupo Demônios da Garoa homenageia o centenário do autor de clássicos como Samba do Arnesto


postado em 10/08/2010 07:00 / atualizado em 10/08/2010 09:09

Embora tivesse a fama de mau-humorado, Adoniran Barbosa, para os amigos, só fazia tipo, com seu jeitão italianado e sempre de chapéu na cabeça e cachecol no pescoço. Sérgio Rosa, do grupo Demônios da Garoa, o descreve como uma pessoa simples, engraçado, de bem com a vida. “Como todo mundo, tinha suas fobias. Uma delas era o medo de elevador”.

Demônios da Garoa: incluído no Guiness Book como o conjunto vocal mais antigo do Brasil em atividade(foto: Sérgio Massa/Divulgação)
Demônios da Garoa: incluído no Guiness Book como o conjunto vocal mais antigo do Brasil em atividade (foto: Sérgio Massa/Divulgação)
Sérgio lembra de um fato que ilustra bem sua observação, sobre a personalidade do compositor que mais cantou São Paulo. “Ensaiávamos no 25º andar de um edifício na Praça Júlio Prestes. Quando ele ia nos procurar para entregar alguma música, pedia que chamassem meu pai (Arnaldo Rosa), que descia até a portaria do prédio para receber a fita. Ele não subia de jeito nenhum”. O Demônios da Garoa, com 66 anos de existência, é o conjunto vocal-instrumental com mais tempo de atividade na música brasileira; e, também, o maior intérprete de Adoniran. “Gravamos mais de 60 músicas de autoria dele. Com a primeira, Malvina, fomos campeões do carnaval de São Paulo em 1951. O primeiro sucesso viria com o estouro de Saudosa maloca, gravada num 78 rotações, que trazia do outro lado Samba do Arnesto, lançado em 1954”, recorda-se Sérgio. Da atual formação, Sérgio e o filho Ricardinho são os únicos descendentes de um dos fundadores do grupo. A eles se juntam Roberto Barbosa, Sydnei e Izael. De hoje a quinta-feira, o Demônios ocupa o palco do teatro da Caixa com o show Canta São Paulo — 100 Anos de Adoniran Barbosa. Haverá participação do ator Luís Maurício e um boneco que, caracterizados como o compositor e seus personagens, conduzirão a linha do show, com intervenções cênicas entre blocos de músicas. Maloca querida A base do show é o CD que o Demônios lançou em 2009, com a participação de Zeca Pagodinho, Jair Rodrigues, Ivan Lins, Benito de Paula, Lecy Brandão e Fundo de Quintal, entre outros. Nesse disco, foram registradas, obviamente, músicas de Adoniran. “Em nossas apresentações sempre homenageamos Adoniran. Agora, mais do que nunca, quando se comemora o centenário do compositor que mais cantou São Paulo”, diz Sérgio. “Nessa do Teatro da Caixa, com certeza estarão no roteiro Trem das Onze, Tiro ao álvaro, Iracema, As mariposas, Apaga o fogo Mané, Samba do Arnesto e Saudosa Maloca”, adianta. Com mais de 10 milhões de discos vendidos, entre 69 compactos simples, seis compactos duplos, 34 LPs e 13 CDs, o grupo surgiu na década de 1940. No fim daquela década, conheceram Adoniran, durante as gravações do filme O Cangaceiro, de Lima Barreto. Em 1994, Demônios da Garoa entraram para o Guiness Book — o famoso livro dos recordes — como o conjunto vocal mais antigo do Brasil em atividade. CANTA SÃO PAULO — 100 ANOS DE ADONIRAN BARBOSA Show com o grupo Demônios da Garoa, de hoje a quinta-feira, às 20h, no Teatro da Caixa (Setor Bancário Norte). Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia para estudantes, pessoas com idade acima de 60 anos e empregados da Caixa Econômica). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3206-6456. Ouça Samba do Arnesto, com Demônios da Garoa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade