Publicidade

Correio Braziliense

Leandro Hassum e Marcius Melhem dublam personagens de Meu malvado favorito


postado em 13/08/2010 08:21

Gru é um vilão egoísta e megalomaníaco. Mas, na versão em português da animação Meu malvado favorito, o personagem ganha uma característica a mais: um sotaque inclassificável. Já o mimado Vetor, o inimigo do grandalhão, também provoca calafrios (e risos) sempre que pronuncia alguma asneira. Ao fim da sessão, a dupla gruda na memória do público graças ao carisma dos personagens e - em grande parte - aos malabarismos dos comediantes Leandro Hassum e Marcius Melhem, que dublam o filme.

Marcius e Leandro emprestam a voz para os adoráveis monstros(foto: Universal Pictures/Divulgação )
Marcius e Leandro emprestam a voz para os adoráveis monstros (foto: Universal Pictures/Divulgação )
No seriado de tevê Os caras de pau, transmitido aos domingos pela TV Globo, os atores interpretam malandros que topam tudo para se dar bem. No desenho animado, eles são inimigos ferozes. Leandro "traduz" a atuação de Steve Carell (da série The office) e Marcius faz as vezes de Jason Segel (da comédia Eu te amo, cara). Os nomes dos humoristas estampam o cartaz do longa-metragem, que estreou em primeiro lugar nas bilheterias brasileiras, com 430 mil espectadores. "O que observo é que, cada vez mais, os estúdios buscam os atores com alguma projeção para ser uma cereja nesse bolo. O fundamental é o próprio filme. Mas nós somos o bônus", explica Marcius. Em Hollywood, se dá ainda mais valor às vozes dos famosos - e há muito tempo. Na franquia Shrek, por exemplo, os personagens já estão associados às performances de Mike Myers, Eddie Murphy, Cameron Diaz e Antonio Banderas. Em Toy story 3, Tom Hanks e Tim Allen emprestam graça aos heróis da história. São os dubladores "de ocasião". No caso de Meu malvado favorito, o trabalho de Marcius durou apenas um dia. "O processo é muito rápido: assistir à cena, ensaiar e gravar", explica o ator, que tem pouca experiência no ramo. "Dublei muito pouco há 15 anos. Mas fazia tanto tempo que foi como começar do zero", lembra. O estúdio do filme (Paramount/Universal) deu sinal verde para que o comediante colorisse o personagem. "Preferi respeitar o espírito do Vetor e não a voz. Para ela, botei meu molho", conta. O ator carioca de Nilópolis ficou conhecido do público com o personagem Perdão, de Zorra total, e com participação na novela Mulheres apaixonadas, de 2003. No teatro, fez sucesso com o espetáculo Nós na fita, em cartaz entre 2004 e 2008. Mas Vetor é um capítulo diferente: o vilão ambicioso, cheio de planos de dominação mundial, é um típico personagem de desenhos animados amalucados. Daí o desafio de dublá-lo. "É preciso técnica e talento para encarnar alguém que já existe. Existem dubladores incríveis no Brasil. Mas adorei a experiência e faria de novo", garante. MEU MALVADO FAVORITO (Despicable me, EUA, 2010, 95min, classificação indicativa livre). Animação de Pierre Coffin e Chris Renaud. Confira salas e horários no Divirta-se

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade