Publicidade

Correio Braziliense

Com ares de ficção científica, Black Eyed Peas chega hoje a Brasília


postado em 22/10/2010 08:00 / atualizado em 22/10/2010 23:52

Você pode até achar que não conhece a banda americana The Black Eyed Peas, mas certamente já ouviu alguma música deles. Eles estão no rádio, na televisão, em publicidade, trilhas de cinema, toques de celular, academias de ginástica, boates, saindo dos alto-falantes dos carros… Enfim, é quase impossível passar incólume ao alcance do grupo formado por William Adams, Allan Pineda, Jaime Luis Gómez e Stacy Ann Ferguson — ou melhor dizendo, will.i.am, apl.de.ap, Taboo e Fergie.
Fergie, estrela feminina do Black Eyed Peas: grupo traz a Brasília o show The E.N.D. World Tour 2010(foto: Rafaela Tamm/Divulgação)
Fergie, estrela feminina do Black Eyed Peas: grupo traz a Brasília o show The E.N.D. World Tour 2010 (foto: Rafaela Tamm/Divulgação)
A The E.N.D. World Tour 2010 chega hoje a Brasília depois de passar por Fortaleza, Recife e Salvador. Daqui, eles vão para Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Florianópolis e São Paulo. Antes de chegar ao Brasil, a turnê passou por 18 cidades europeias, 35 nos Estados Unidos (mais 16 datas estão marcadas no país), México (onde, em três shows, reuniu mais de 100 mil pessoas), Argentina, Chile e Peru. O espetáculo que será apresentado esta noite no estacionamento do Estádio Mané Garrincha não tem chamado a atenção à toa. A estrutura gigantesca, com equipamentos de luz e som de última geração tem resultado em um show com ares de filmes futurista, de ficção científica. “Os fãs poderão curtir agora um Black Eyed Peas renovado visualmente, com um megaespetáculo de luzes, cores e vídeos. A grande marca da estrutura da The E.N.D. World Tour é a tecnologia. O palco é simplesmente algo inacreditável! Os telões de LED, a iluminação, os elevadores… sem contar que agora eles possuem dançarinas e figurinos exuberantes”, comenta o funcionário público pernambucano Renato Vasconcelos, 21 anos, editor do Portal BEP, o maior no Brasil dedicado à banda americana. “Eu estava tentando me conformar de não ir, mas quando vi um clipe do show, com as roupas, o telão… tive que mudar de ideia. Acho que essa superprodução vai render um show incrível, aposta a estudante de biologia Priscila Maia, de 19 anos. “Eles vão transformar o show em uma enorme boate”, acrescenta o estudante brasiliense Gustavo Alves Nascimento, 18 anos. “A turnê atual tem vários dançarinos e coreografias. Nos outros shows não tinha isso, era só um pequeno palco onde os vocalistas cantavam e faziam suas próprias coreografias. Era mais improvisado, o que não deixava de ser divertido, pois em cada cidade era uma coisa única. Agora eles têm um palco enorme, o que permite uma maior interação com o público”, continua Gustavo, fã da banda desde 2003 — ano de lançamento de Elephunk, o disco que levou o grupo ao sucesso internacional. Estreita ligação Além dos vários hits e das apresentações de encher os olhos, a atenção que os integrantes do Black Eyed Peas dedicam aos fãs ajuda a entender a estreita ligação entre as partes. “Nós já tivemos a oportunidade de conhecer o Black Eyed Peas em 2006 e a Fergie em 2008”, conta designer paulista Angelo Bruno de Souza Silva, 25 anos, responsável pelo site Fergie BR. “Por ser a única mulher do grupo, ela consegue trazer a sensualidade e a doçura de uma mulher para um grupo cheio de homens, o que fica bem equilibrado. Além disso, a Fergie consegue ser diferente de outras cantoras atuais, pois ela não é apenas um produto da mídia. Ela tem uma técnica vocal impecável”, opina o estudante Bruno Iglesias Maia, 16. “Loira, linda, com voz poderosa e com atitude hip-hop, Fergie virou a minha musa e é até hoje — minha ex-namorada tinha até ciúmes dela”, lembra Gustavo que, em 2007, conseguiu conhecer a cantora com outros fãs em um show em São Paulo. “Li em uma entrevista que a Fergie gostou muito de Brasília quando esteve aqui em 2006. Por isso, ela escolheu a cidade para cantar Fergalicious, música de sua carreira solo que ela não canta sempre nos shows do Black Eyed Peas”, comenta a funcionária pública Marla Romano, 28 anos. A produção do show já adiantou que músicas como Let’s get it stared, Don’t phunk with my heart, My humps, Pump it, Don’t lie, Shut up, Where’s the love, Boom boom pow e I gotta feeling não faltarão no repertório. É desta última a frase: “Estou sentindo que está será uma ótima noite”. Uma premonição do que será visto em Brasília esta noite? “Quem já foi a um show deles sabe como é a expectativas. É enorme! De qualquer jeito espero que eles surpreendam, cantem alguma música do novo álbum deles e superem o show de 2006, que foi o melhor da minha vida”, anima-se Gustavo. “A outra expectativa fica por conta da mãe-terra mesmo: espero que não mandem uma chuva pra gente enquanto estivermos na fila. Mas na hora do show, nem vou me importar!”, afirma. Black Eyed Peas Hoje, às 21h, no estacionamento do Estádio Mané Garrincha. Show da turnê The E.N.D. World Tour 2010, do grupo americano The Black Eyed Peas. Ingressos à venda no site www.livepass.com.br.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade