Publicidade

Estado de Minas

Dança da Pisadinha na boca de Ivete, Alexandre Pires e Aviões do Forró


postado em 08/01/2011 08:00 / atualizado em 08/01/2011 17:38

O cantor e compositor Reginho está feliz com o sucesso da música que caiu no repertório de shows de Ivete Sangalo e de Alexandre Pires(foto: Jozart/Divulgação - 5/1/11)
O cantor e compositor Reginho está feliz com o sucesso da música que caiu no repertório de shows de Ivete Sangalo e de Alexandre Pires (foto: Jozart/Divulgação - 5/1/11)
Ivete Sangalo cantou Minha mulher não deixa não na virada de ano em Recife. Também na capital pernambucana, Alexandre Pires revezou com o público os versos mais conhecidos da letra: “Vou não, quero não, posso não, minha mulher não deixa não”. Uma rápida busca no YouTube revela ainda versões ao vivo em shows de Garota Safada e Aviões do Forró. Se você nunca ouviu a canção que vem de lá da praia de Maria Farinha, pode ter certeza de que ainda vai ouvi-la com frequência nesse comecinho de ano. “A dancinha é o que tá pegando”, brinca o cantor e compositor Reginho, como é conhecido Reginaldo Alves da Silva, 39 anos.

Ele é o criador do hit musical, que caiu rapidamente na boca do povo e nos dedos agitados dos internautas. No portal YouTube, um clipe amador da música, publicado em 16 de novembro, já acumula mais de 4,4 milhões de acessos — o mesmo vídeo, postado com outro nome, está prestes a cravar 1 milhão. “Eu queria ver todos esses artistas para apertar a mão e agradecer. Muito importante pra gente, com certeza. A gente tem show pra dividir com o Aviões, dia 22, aqui em Recife. Com os outros, não podemos afirmar”, adianta Reginho.

Filmado na praia Maria Farinha, no município de Paulista, região metropolitana de Recife (PE), o fenômeno da internet ajudou a tornar celebridade Reginho & Banda Surpresa. Como a gravação caseira, protagonizada pelos dançantes Anjo, Gal, Mimoso e Ponga, amigos do músico, a criação da letra começou como uma grande e despretensiosa brincadeira.

Tecladista e cantor, Reginho costumava andar de bar em bar mostrando um pouco de seu talento. Numa certa noite de julho passado, encontrou cadeiras e mesas vazias, no Cabeça de Galo da Marli, em Paulista. A inspiração veio no silêncio, quebrado pela voz do autor. “De repente, zoei comigo mesmo. Abri uma cervejinha e dizia ‘Ei, tu quer beber?’. E nisso foi chegando, eu mesmo respondendo, ‘Quero não!’. Fui escrevendo no caderno da garçonete. E deu a música, sem intenção nenhuma”, revela Reginho, que gravou a música para uma coletânea do DJ Sandro. A faixa então caiu nas mãos do quarteto de gaiatos praianos, recebeu coreografia, e virou febre.

(foto: Youtube/Reprodução)
(foto: Youtube/Reprodução)
Quando Reginho se deu conta do estouro do vídeo, agiu rápido. “Quem viu, correu pra nos avisar. Aí, a gente notou que a coisa estava pegando, e montamos a banda Reginho & Banda Surpresa. Foi de repente, um flash. E nossa agenda já tá lotada”, comemora. Anjo, Mimoso, Gal e Ponga foram premiados com emprego de dançarinos na banda, e se juntaram às bailarinas Helen, Patricia, Herica e Márcia. O resto do grupo também é composto de amigos do compositor: DJ Sandro, Brilhante (bateria), Samurai (teclado, sampler), Chama (baixo), Vine (guitarra), Jaqueline e Denise (vocais).

Do anonimato à fama, em pouco mais de um mês, com direito a contrato assinado com a Premier Produções, do empresário Ari Carvalho, e primeiro registro em álbum, Reginho & Banda Surpresa – Minha mulher não deixa não. “A gente tem ônibus, iluminação de primeira qualidade, painéis de LED, toda a estrutura que você imaginar”, enumera Reginho. Segundo ele, o disco já vendeu mais de 100 mil cópias só no Recife.


Minha Mulher Não Deixa Não!
 

 
Vou sim, minha mulher não manda em mim - também é do Reginho
 

 
Ivete Sangalo no reveillon de Recife
 

 
Alexandre Pires em show no Recife
 

 
Reginho e Aviões do Forró
 

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade