Diversão e Arte

Festa de Seu João reúne cerca de 18 mil pessoas no Nilson Nelson

Irlam Rocha Lima
postado em 06/06/2011 10:22

Vários aspectos da tradição dos festejos juninos, ligados ao Nordeste, foram mantidos. A área ao lado do Ginásio Nilson Nelson foi transformada em extenso arraial. Bandeirolas coloridas tremulavam em todo o ambiente, onde ecoavam músicas que evocam esse período, nas vozes de Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Dominguinhos, Elba Ramalho e Gilberto Gil. E houve um grande consumo de bebidas e comidas típicas.

Mas, na Festa do Seu João, que reuniu público de 18 mil pessoas entre o fim da noite de sábado e o começo da manhã de ontem, chamou a atenção as características próprias de uma cidade de cultura multifacetada, reflexo da convergência de pessoas de diferentes regiões do país. Para elas, representantes de tribos diversas, foi oferecida uma programação pra lá de eclética ; especialmente na parte artística.

Embora muitos deles tenham estado ali em função da celebração junina propriamente, ficou claro que o apelo maior para que saissem de casa e enfrentassem o frio veio do variadíssimo leque de atrações musicais. Ouviu-se desde o pop rock de Nando Reis até a canção sertaneja da dupla Victor & Léo, passando pelo samba de Serjão Lorosa, a axé music de Mr. Babão e a batida eletrônica de Felipe Venâncio.

Victor & Léo entraram no palco às 2h30 e cantaram em coro com fãsÀ espera dos shows, extensas filas se formaram em torno das 45 barraquinhas que serviam quentão, canjica, curau, bolos diversos, arroz carreteiro e galinhada, entre outros produtos servidos. Obviamente, bebeu-se muita cerveja, uisque e vinho; da mesma forma que foram consumidos, em grande quantidade, crepes, pizza, churrasquinho, acarajé e churrasquinho.

Os trabalhos foram abertos, inicialmente, pelo DJ brasiliense Léo S.A na tenda eletrônica, ponto de encontro dos, digamos, alternativos, que na sequência se jogaram na pista de dança embalados pelo carioca Felipe Venâncio e pelo trio internacional Ask 2 Quit. Ao lado, na tenda em que rolava a M.I.S.S.A ; uma festa dentro de outra ;, o DJ Tartaruga, tocando ritmos variados, esquentava os baladeiros, enquanto eles aguardavam as apresentações de Lorosa e Babão.

Madrugada
Acompanhado pela banda Us Madureira, o cantor carioca fez um show bem dançante, no qual sucessos da música negra brasileira ; de Jorge Ben Jor a Sandra de Sá ; estiveram lado a lado no repertório com sambas-enredo de escolas como Salgueiro, Portela e União da Ilha. Já na madrugada, Babão manteve a plateia acesa recriando a axé music do Chiclete com Banana, Asa de Águia, Ivete Sangalo, entre outros. Em seguida, subiu ao palco principal foi Nando Reis. O ex-Titãs, que recentemente havia estado em Brasília com o Bailão do Ruivão, desta vez trouxe o show da turnê do Drês (CD lançado em 2009), no qual estão reunidos os maiores hits do cantor e compositor paulistano: Sou dela, O mundo é bão, As coisas são mais lindas, Não vou me adaptar, All star, Resposta, Por onde andei.

No fim, feliz, ouviu os fãs fazerem coro com ele em Os cegos do castelo, O segundo sol e Marvin. Já no camarim, falou que não tem nenhum preconceito em relação a qualquer tipo de festa. ;Vim fazer meu show e tentar interagir com o público. Como senti que consegui isso, estou satisfeitíssimo. Brasília é especial, pelas pessoas, por ser uma cidade musical e por ter sido o ponto de partida da minha querida Cássii Eller, que está guardada entre as minhas lembranças mais caras;, afirmou.

Antes da atração mais aguardada da Festa do Seu João, a dupla formada pelos mineiros Victor & Léo, subiram ao palco jogadores da equipe de basquete do Uniceub, campeã do Novo Basquete Brasil (NBB), liderados por Guilherme Giovannoni. O craque do torneio, em nome dos companheiros, saudou e agradeceu os brasilienses pela torcida e pelo apoio durante a competição.

Victor & Léo, que possuem uma legião de admiradores na capital, em todas as faixas etárias e classe social, surgiram em cena às 2h30 de ontem. Fizeram, basicamente, o show da turnê Boa sorte pra você, apresentado em abril, no Parque da Granja do Torto, durante a Exposição Agropecuária. Ainda no camarim, disseram ao Correio o quanto é prazeroso para eles participar de eventos como festa junina.

;Nossa origem é rural. Na infância e na adolescência, em Abre Campo, cidade do interior de Minas, onde nascemos, nos caracterizávamos de caipira, usando camisa xadrez e chapéu de palha para participar das festas juninas;, revelou Léo. ;Embora não façamos músicas que trazem referência a ritmos nordestinos, em nossas letras há clara evocação do universo sertanejo, que conhecemos tão bem;, explicou Victor, autor de quase todas as composições da dupla.

Depois de abrirem a apresentação com a canção que dá título ao novo álbum e ao DVD, eles interpretaram a consagrada Vida boa e mostraram o medley country que inclui Em casa, Não vá pra Califórnia e Sem trânsito, sem avião. O megahit Deus e eu no sertão ; tema da novela Paraíso, a única em que Léo faz o vocal ; foi cantado junto com a multidão; e antecedeu os medleys raiz e regional. Neste último, há a inclusão de Anunciação, de Alceu Valença. Meu eu em você, Ela não vai mais chorar e Lembranças de amor, do medley romântico, levaram muitos casais a se juntarem ainda mais. No bis, Victor & Léo cantaram o clássico Borboletas, que não fazia parte do roteiro. Eram 4h quando a dupla se despediu, recebendo manifestações de carinho e aplausos calorosos. Embora muita gente tenha deixado o local em seguida, não faltou quem se mantivesse na festa, testemunhando a chegada dos primeiros raios de sol de domingo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação