Publicidade

Estado de Minas

Paulinho da Viola grava depoimento para Museu da Imagem e do Som


postado em 10/08/2012 09:23 / atualizado em 10/08/2012 10:10

(foto: Antonio Cunha/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Antonio Cunha/Esp. CB/D.A Press)

A elegância, a sensibilidade e a sabedoria de Paulinho da Viola, nascido em 12 de novembro de 1942, desfilaram com toda a leveza pela Praça 15, no centro da cidade do Rio de Janeiro, no último sábado. Foi o dia em que compositor portelense prestou depoimento à posteridade no Museu da Imagem e do Som (MIS), durante seis horas e meia.

Afastado temporariamente do violão e do cavaquinho, da marcenaria e da funilaria, Paulinho revelou que viaja muito a São Paulo para encontrar amigos. Entre eles, gente do mundo da música e o campeão de sinuca Carne Frita — o cantor é um exímio jogador de sinuca. “Ele está cego de um olho, tem mais de 80 anos, mas encaçapa qualquer bola que vier”, disse Paulinho, sorrindo.




Leia mais notícias em Diversão & Arte

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade