Publicidade

Estado de Minas

Escultura de Antony Gormley sofre vandalismo perto do Planalto


postado em 23/10/2012 10:52 / atualizado em 23/10/2012 11:08

Uma das esculturas do artista britânico Antony Gormley acabou vandalizada na noite de domingo, em frente ao Palácio Planalto. A peça de 630 quilos que reproduz em aço o próprio corpo do artista foi encontrada no chão, embalada em plástico, como se fosse "um corpo destinado à desova", segundo a assessoria de imprensa do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). Na tarde de ontem a produção da mostra Corpos presentes — Still being, em cartaz no CCBB, já estava trabalhando em uma nova maneira de plantar a escultura no chão de maneira segura. Dessa vez, ao invés de enterrar os pés da peça, será construída uma base de concreto para firmar a obra.


(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)


Além das instalações no CCBB, Gormley espalhou suas esculturas por toda a cidade. Uma foi instalada na parada de ônibus da Ponte JK e quase foi removida pela polícia, que não sabia a origem da obra de arte. Na Rodoviária, o público ganhou destaque pelo bom-humor. A nudez da escultura chamou a atenção de quem passava. Alguns até tentaram interagir.

Leia mais notícias de Diversão & Arte

As esculturas de Gormley crescem em monumentalidade na paisagem de Brasília. Um pavilhão de 600 m² foi erguido nos jardins do CCBB para receber Critical mass 3, um conjunto de corpos nas mais variadas posições dispostos pelo chão e pendurados no teto do espaço. É a reflexão do artista para a fragilidade e a violência da condição humana. Em uma das galerias, um labirinto em material fluorescente transporta o visitante para um mundo de sensorial. A exposição fica em cartaz até 6 de janeiro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade