Publicidade

Estado de Minas

Clarice Gonçalves comemora uma década de carreira com retrospectiva da obra


postado em 23/11/2012 08:31

(foto: Clarice Gonçalves/ Divulgação )
(foto: Clarice Gonçalves/ Divulgação )

No blog pessoal que Clarice Gonçalves mantém, consta, sob o perfil, apenas uma única frase: “Sou uma pintora. Nada mais”. A partir desta sexta (23/11) , como parte do 5° Brasília Contemporânea, o público poderá conferir que a sentença talvez seja verdade. A mostra Aos passos visita 10 anos da carreira da artista que aproveitou a oportunidade para questionar, na tela, os caminhos e jornadas trilhados na última década. Aos olhos mais atentos algumas confidências são reveladas, ainda que se mantenham abstratas na essência: “Passadas, passado, pausas, quedas, saltos, corridas, caminhar. Parcerias e solidão. Pintar para chegar? Pintar como destino e força motriz”, afirma, sem precipitar qualquer conclusão.

Entre os trabalhos inéditos e alguns remanescentes do acervo da pintora, a exposição transparece a busca inconstante de Clarice de se situar, compreender o espaço que ocupa. Ora parece estar presa às origens, enquanto, por vezes, revela uma vontade de atingir o ainda desconhecido. Fica a sensação de uma frutífera crise artística existencial para qual somos convidados a conhecer e desvendar. “Porque o real não está na saída nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio da travessia...”, declara a artista citando um trecho de Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa.

Leia mais notícias em Diversão & Arte

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade