Publicidade

Estado de Minas

Entorno do DF serviu de cidade cenográfica para o filme Faroeste caboclo

Para manter o clima de bangue-bangue, o diretor René Sampaio escolheu as ruas empoeiradas do Jardim ABC para rodar as cenas de Ceilândia nos anos 1970


postado em 14/05/2013 06:01 / atualizado em 14/05/2013 06:07

A famosa festa Rockonha foi gravada em uma chácara no Paranoá(foto: Hugo Santarem/Pixel Imagem)
A famosa festa Rockonha foi gravada em uma chácara no Paranoá (foto: Hugo Santarem/Pixel Imagem)

Após enfrentar uma briga judicial no início do projeto — apesar da aprovação da família de Renato Russo, a Editora Tapajós, detentora de direitos autorais da Legião, tentou impedir a adaptação cinematográfica; pedido negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) —, em novembro de 2006, René Sampaio e Paulo Lins (autor do clássico livro Cidade de Deus) estiveram juntos em Brasília pela primeira vez, fazendo pesquisa de campo para o longa-metragem. Na época, a dupla conversou com traficantes, prostitutas e roqueiros, além de recolher muito documento para o primeiro tratamento do roteiro.

A saga de Santo Cristo, no entanto, começou a ser filmada somente em 2011. Quase todas as locações ocorreram no Distrito Federal. Serviram de cenário a Universidade de Brasília (UnB), o Parque da Cidade, a Esplanada dos Ministérios, a Praça dos Três Poderes, o Lago Paranoá e algumas superquadras. Como na música, em Faroeste caboclo, o filme, o interesse pela maconha leva Maria Lúcia a conhecer os inimigos Jeremias e Santo Cristo. Os traficantes se encontraram pela primeira vez em um casarão do Lago Sul. O primeiro é marcado pelas roupas de couro e um bigodão ao estilo mexicano, típico dos faroestes norte-americanos.

Leia mais notícias em Diversão & Arte

Interpretado por Felipe Abib, Jeremias é marcado pelo bigodão ao estilo mexicano(foto: Antônio Cunha/Esp. CB/D.A Press)
Interpretado por Felipe Abib, Jeremias é marcado pelo bigodão ao estilo mexicano (foto: Antônio Cunha/Esp. CB/D.A Press)

Para manter o clima de bangue-bangue, o diretor René Sampaio escolheu as ruas empoeiradas do Jardim ABC para rodar as cenas de Ceilândia do fim dos anos 1970. A comunidade do Entorno recebeu uma cidade cenográfica e a equipe de Faroeste por quatro semanas. Em uma rua do Jardim ABC, bairro pobre, empoeirado e violento da Cidade Ocidental (GO), os produtores ergueram casinhas e bares de madeira.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade