Publicidade

Estado de Minas

Gregório Duvivier comenta escolhas que o alçaram ao topo da comédia

Em entrevista ao Correio, o ator contesta fórmulas do humor e revela bastidores da carreira


postado em 04/07/2013 08:37 / atualizado em 04/07/2013 11:02

Gregório Duvivier daria um bom personagem fora da ficção. Isso reflete duas noções: a primeira é o tipo de interpretação que o ator admira e toma para si. “Nada é tão engraçado quanto uma pessoa sendo verdadeira”, afirma. A segunda é que o carioca é sui generis e se esquiva de padrões e vereditos. De cabeleira rala, baixa estatura (1,70m) e movimentos mansos, é tão assediado quanto um galã e, carismático, transforma-se automaticamente em um.

Ao final das apresentações teatrais, como aconteceu em Brasília, faz questão de autografar e ser fotografado ao lado de uma fila de fãs consideravelmente enorme, até para um Marlon Brando — eles se parecem, aliás. Pelo menos é o que garante o reality show fake O fantástico mundo de Gregório, exibido no canal Multishow, no qual o ator interpreta ele mesmo em sua vida fictícia, porém desejada por milhares de espectadores de verdade.

Leia mais notícias em Diversão e Arte

O êxito vem desde os esquetes Z.É. Zenas Emprovisadas, cujo elenco fixo era Duvivier, Marcelo Adnet, Rafael Queiroga e Fernando Caruso. Só no Porta dos Fundos, canal de humor do qual é dono com outros quatro sócios-amigos (Fábio Porchat, João Vicente de Castro, Antônio Tabet e Ian SBF), soma 351 milhões de visualizações. Lá, roteiriza e participa de quadros nonsenses, como O homem que não sabia mentir, Versão brasileira e Essa é pra você, todos em parceria com a namorada, a cantora Clarice Falcão, de quem não costuma e nem pretende se separar.

Confira à entrevista com Gregório Duvivier

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade