Publicidade

Estado de Minas

Vencedora de Nobel de Literatura considera prêmio uma conquista para todos

O trabalho da escritora foi definido como "mestre da narrativa breve contemporânea"


postado em 05/12/2013 08:29 / atualizado em 05/12/2013 08:50

Por conta da idade, Alice Munro não viajará neste sábado (7/12) para receber o prêmio(foto: Peter Muhly/AFP Photo)
Por conta da idade, Alice Munro não viajará neste sábado (7/12) para receber o prêmio (foto: Peter Muhly/AFP Photo)

A vencedora do Nobel de Literatura deste ano, a canadense Alice Munro, não viajará até a Suécia para a cerimônia de entrega do prêmio, marcada para este sábado (7/12). Uma entrevista foi gravada em vídeo e será exibida como alternativa ao discurso que os vencedores fazem na ocasião. O motivo da ausência no evento é a idade da vencedora: 82 anos. O comitê de premiação classificou Munro como uma “mestre da narrativa breve contemporânea”.

A escritora dedicou-se quase que exclusivamente ao conto, sendo que seu único romance, The view from Castle Rock, trata-se de uma reunião de histórias entrelaçadas pelos mesmos personagens, que se desenrolam de forma paralela. Com 14 livros publicados, — o último deles, Vida Querida, lançado no Brasil nesta semana pela Cia das Letras —, ela considera que o prêmio é uma conquista para todos os autores de contos. A explicação, segundo ela, é que os escritores geralmente começam pelo conto para, depois, escreverem o primeiro romance. Em entrevista ao site do Nobel, Munro explicitou sua paixão pelo gênero: “Eu gostaria que o conto viesse à tona, sem amarras, de modo que não tenha que ser um romance”.

Leia mais notícia em Diversão & Arte


“O conto é incisivo, crucial. Depois daquele momento, a vida do personagem não será mais a mesma”, define o escritor José Resende Júnior. Mineiro radicado em Brasília há 25 anos, é autor de três livros de contos, sendo que Eu perguntei para o velho se ele queria morrer foi vencedor do prêmio Jabuti em 2010. Seus livros foram publicados pela editora carioca 7Letras. “Fui recusado por outras editoras não pelo conteúdo, mas pelo fato de serem contos”, explica.

 

Confira a lista e as designações com que foram contempladas as 13 damas da escrita

Alice Munro em 2013

“Mestre do conto contemporâneo”

"master of the contemporary short story"

Herta Müller em 2009

“Aquela que, com a concentração da poesia e a franqueza da prosa, retrata a paisagem dos despossuídos"

Doris Lessing em 2007

"O ápice da experiência feminina, que com ceticismo, fogo e poder visionário, sujeitou uma civilização dividida a uma análise"

Elfriede Jelinek em 2004

"Por seu fluxo musical de vozes e contra-vozes em novelas e peças que com zelo linguístico extraordinário revelam o absurdo de clichês da sociedade e seu poder de subjugar os indivíduos"

Wislawa Szymborska em 1996

"Para a poesia que, com precisão irônica, permite que o contexto histórico e biológico se ilumine em fragmentos da realidade humana"

Toni Morrison em 1993

"Aquela que,  em romances caracterizados por força visionária e importação poética, dá vida a um aspecto essencial da realidade americana"

Nadine Gordimer em 1991

"Quem, através de sua magnífica escrita épica tem sido - nas palavras de Alfred Nobel -  de grande benefício para a humanidade"

Nelly Sachs em 1966

"Por sua  notável escrita lírica e dramática, que interpreta o destino de Israel com força comovente"

Gabriela Mistral em 1945

"Por sua poesia lírica, que, inspirada por emoções fortes, fez do nome dela um símbolo das aspirações idealistas de todo o mundo latino-americano"

Pearl Buck em 1938

"Por suas descrições ricas e verdadeiramente épicas da vida camponesa na China e por suas obras biográficas"

Sigrid Undset em 1928

"Principalmente por suas descrições poderosas de vida do Norte durante a Idade Média"

Grazia Deledda em 1926

"Por seus escritos idealisticamente inspirados  que, com uma clareza plástica, retratam a vida em sua ilha nativa e com profundidade e simpatia lidam com os problemas humanos em geral"

Selma Ottilia Lovisa Lagerlöf em 1909

"Em apreciação pelo idealismo elevado, vívida imaginação e percepção espiritual que caracterizam seus escritos"

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade