Publicidade

Estado de Minas

Poeta Cristiano Menezes lança livro de poesia Guardanapos

O escritor conversou com o Correio sobre o lançamento


postado em 17/10/2014 08:05 / atualizado em 16/10/2014 19:54

O poeta e jornalista Cristiano Menezes lança o primeiro livro da carreira. Guardanapos é uma coletânea de poemas produzidos ao longa de toda a vida do escritor. É, também, uma homenagem a uma das plataformas mais utilizadas pelos poetas para escrever versos e rimas.

Leia mais notícias em Diversão & Arte

Cristiano tem uma forma peculiar de encarar o ofício das rimas. "Você se dá conta de que é um poeta quando percebe que a poesia está em todo lugar. No drama, na guerra, na política, não importa". Assim, ao longa da carreira jornalística, ao conviver com os mais variados tipos de notícias, ele foi aos poucos capturando versos em acontecimentos cotidianos.

Jornalista Cristiano Menezes com o livro Guardanapos(foto: Estado de Minas)
Jornalista Cristiano Menezes com o livro Guardanapos (foto: Estado de Minas)


Guardanapos é composto por poesias feitas ao longa de toda a vida do autor. "Sou eu em várias fases. Desde o poeta mais jovem até o homem maduro", explica. O autor também faz questão de ressaltar que fala sobre todos os assuntos. ""As questãos sociais, o amor, a política. Tudo vira poesia."

Cristiano informa que agora vai se dedicar ao segundo livro da carreira. "Escrevo pensando no ritmo, no verso, na palavra falada", diz.

O carioca Cristiano Ottoni de Menezes nasceu em 1948. Poeta, radialista e jornalista, já atuou como repórter, editor, produtor, locutor, programador musical, roteirista e apresentador, além de exercer cargos de gestão. Criou e apresentou programas especiais sobre artistas da MPB, meio ambiente, ciência e tecnologia. Produziu de trios elétricos a shows. Guardanapos é o seu primeiro livro de poesia.



Como foi a transição de jornalista para poeta?

A poesia é um instrumento de transformação social. Tudo tem poesia. O jornalista vira poeta porque, se deixar, a vida fica muito árida"

Como você avalia a poesia hoje no Brasil?
É importante ver que tem uma garotada, com seus 20 e poucos anos, que etá produzindo muitas coisas interessantes. São pessoas com formações diversas"

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade