Publicidade

Estado de Minas

Confira disciplinas do Curso de Verão da Escola de Música de Brasília

O evento chega à 37ª edição e se destaca como o mais antigo evento do gênero no país


postado em 03/01/2015 08:01

(foto: Arquivo da Escola de Música de Brasília/ Divulgação)
(foto: Arquivo da Escola de Música de Brasília/ Divulgação)


Um dos eventos artísticos mais aguardados no primeiro mês do ano na capital, o Curso Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília (Civebra) esteve ameaçado de não ocorrer. Divergência entre professores da instituição e a Secretaria de Educação, motivada por questão ligada ao pagamento de diárias, por pouco inviabiliza a 37ª edição do encontro — o mais longevo do gênero no país.

O problema, causado pelo fato de o Curso de Verão ser realizado no período de férias, foi contornado com a garantia de pagamento aos professores de 10 dias, no exercício do cargo, e dispensa do trabalho, durante outros 10 dias, a ser usufruída no decorrer do ano letivo. Esses mestres exercerão funções ligadas às diversas coordenações. Nenhum deles estará à frente de classes, uma vez que as aulas serão ministradas por músicos convidados.

Segundo Sirley Azevedo, assessora da Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto, o Civebra deve ser considerado projeto pedagógico da Escola de Música. “Os 26 professores que irão tomar parte, como coordenadores, no efetivo exercício do cargo, farão acompanhamento do curso com diferentes atribuições. Elas serão, também, representantes do coletivo da escola”, explica.

Notório saber
A assessora explica, ainda, que os recursos para a realização do curso, no valor de R$ 3,4 milhões, estavam previstos no orçamento da secretaria para 2015 e serão utilizados na contratação dos professores, “escolhidos por notório saber”, em reformas na escola, aquisição de mobíliário e equipamentos. Antes de assumir o cargo, o secretário de Educação, Julio Gregório, se reuniu com o antecessor Marcelo Aguiar para conversar sobre o Civebra.

Nesta edição, os estudantes vão concorrer às 450 vagas abertas para 44 disciplinas. As inscrições poderão ser feitas, gratuitamente, até amanhã, pelo site. Aos alunos serão oferecidos alojamento — no Cesas, ao lado da Escola de Música — e duas refeições diárias, no decorrer dos 15 dias de duração do curso, com abertura no dia 14 e encerramento no dia 29.

Confira lista de disciplinas e professores dos cursos:

Orquestra — Ricardo Rocha
Big Band — Ademir Junior
Banda sinfônica — Roberto Farias
Flauta transversal — Marcelo Barboza e Rogério Wolf
Oboé — Joel Gisiger
Clarineta — Renata Menezes e Edmilson Neri
Sax erudito — Carlos Gontijo
Fagote — Flávio Lopes Junior
Trompete — Gerald Chip Chacón
Trompa — Samuel Hamzem
Euphonio — Rafael Dias Mendes
Trombone — Wagner Polistchuk
Trombone baixo — Darrin Milling
Tuba — Gian Marco de Aquino
Violino — Emil Chudnowsky  e Alexandre Casado
Violoncelo — Gustavo Tavares e André Micheletti
Contrabaixo erudito — Alexandre Ritter
Piano clássico —  Tamara Ujakova e Pascal Gallet
Viola clássica — Sándor József Thurzó
Violão clássico —Eduardo Meirinhos
Percussão erudita —  Rodolpho Cardoso de Oliveira
Percussão popular — Carlos Pial*
Canto erudito — Inácio de Nonno, Marcelo Coutinho e Laura de Souza
Sax erudito — Carlos Gontijo
Baixo acústico popular — Tony Botelho
Sax popular — Idriss Boudrioua e Irving Luichel
Trombone popular — Rafael Rocha e Sidimar Vieira
Guitarra — Alexandre Carvalho
Guitarra — Alberto Sales
Baixo Elétrico —  Marcelo Maia
Baixo acústico popular — Tony Botelho
Canto popular — Simone Guimarães e Ana Luiza
Piano popular — Felipe Silveira e Luis Felipe
Violão popular — Nelson Faria
Bateria — Guilherme Santana

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade