Publicidade

Estado de Minas

Praça da 201 Norte é o novo ponto de encontro de foliões de Brasília

Sem o apoio do governo, os blocos de rua encontraram um novo local para abrigar a programação de carnaval


postado em 11/02/2015 10:51 / atualizado em 11/02/2015 10:58

A pracinha da 201 Asa Norte virou ponto de encontro dos blocos de rua brasilienses: espaço dedicado à cultura (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
A pracinha da 201 Asa Norte virou ponto de encontro dos blocos de rua brasilienses: espaço dedicado à cultura (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

A capital está aos poucos dando os primeiros passos para transformar o carnaval da cidade em folia de rua. Nos últimos quatro anos, Brasília ganhou mais blocos de rua e, consequentemente, espaços para os novos grupos. Sem o Gran Folia, a Passarela da Alegria que costumava ser construída pelo governo do Distrito Federal com palcos, banheiros químicos e praça de alimentação, além de marcar o encontro dos blocos tradicionais, que começaram a procurar alternativas.

Assim, surgiram alguns locais que viraram ponto de encontro dos grupos, como os setores Bancário Sul e Norte, preferido de blocos como Aparelhinho e Galo Cego, e um dos mais procurados, a praça da 201 Norte, que abrigou as prévias de Samba do Peleja, Falta Pouco e Cafuçu do cerrado.

O espaço na Asa Norte, que abriga o Balaio Café, é conhecido por ser um local de efervescência cultural, em que acontecem feiras, shows e debates. “É uma característica do Balaio e daquela quadra de ser um espaço dedicado a cultura. Ele agrega eventos o ano inteiro”, defende Lucas Formiga, um dos organizados do bloco Cafuçu do Cerrado, que desfilou no último fim de semana na quadra.

Só neste ano, a praça da 201 Norte recebeu diversos blocos pré-carnavalescos, além de já estar na programação de outros cinco no carnaval. A escolha pelo espaço também tem muito a ver com o apoio de Juliana Andrade, idealizadora do Bloco das Perseguidas e proprietária do Balaio Café. “Muitos blocos procuraram a Juliana e ela agregou todo mundo. Nós fizemos o Cafuçu no Balaio por uma questão de estrutura”, explica Formiga.

É uma característica de Juliana Andrade apoiar os eventos culturais da cidade. “Aqui na 201 Norte, a gente acolhe todo mundo. Neste ano, a cidade tem mais de 20 blocos independentes. É uma surpresa e motivo de muito trabalho. Acho que existe essa retomada da consciência do brasiliense de ser protagonista, em vez de ser só espectador”, completa.

Programe-se

Quinta-feira (12)
às 19h, Bloco de samba com Filhos de Dona Maria.

Sábado (14)
às 14h, Bloco das Perseguidas e Martinha do Coco.

Domingo (15)
às 16h, bloco de carnaval com música celta e medieval com o Kiaulles. O Bloco Bicicobloco encerra o desfile, que começa às 9h no Eixão Norte até o Buraco do Tatu, no Balaio Café.

Terça-feira (17)
às 16h, Bloco Rejunta Meu Bulcão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade