Publicidade

Estado de Minas

Exposição retrata seis décadas de história dos refugiados palestinos

A mostra, organizada por agência da ONU, traz em sua estrutura circular, as angústias vividas pelas vítimas dos conflitos


postado em 07/05/2015 08:15 / atualizado em 06/05/2015 16:09

Um comboio de caminhões leva refugiados e seus pertences de Gaza para Hebron, na Cisjordânia, em dezembro de 1949(foto: UN Photo/Divulgação)
Um comboio de caminhões leva refugiados e seus pertences de Gaza para Hebron, na Cisjordânia, em dezembro de 1949 (foto: UN Photo/Divulgação)
Poucas histórias de deslocamentos forçados são tão longas quanto a dos palestinos. Hoje, seis décadas depois de iniciado o drama desse povo, o número de refugiados chega a 5 milhões. Para contar essa história, a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (Unrwa) organizou uma exposição com 40 fotografias que acompanham mais de 60 anos da trajetória dos refugiados. Uma longa jornada vai transportar o visitante de maneira didática e cronológica ao longo das décadas que viram conflitos e enfrentamentos tirarem de casa milhares de pessoas para confiná-los em campos e assentamentos provisórios, mas que acabaram por ser tornar permanentes.

Criada em 1950 para dar assistência aos palestinos que deixavam suas terras em consequência dos conflitos no Oriente Médio, a Unrwa passou a ser também uma referência em documentação do movimento na região. No início, os próprios funcionários da agência realizavam os registros, trabalho que depois contou com a participação de fotógrafos profissionais. Na exposição, o jordaniano George Mehneh é o responsável por boa parte das imagens. Ele acompanhou o trabalho da instituição durante mais de quatro décadas. São de Mehneh também os curta-metragens nos quais ele reencontra pessoas que fotografou ao longo dos anos e cuja condição não mudou desde a primeira vez que precisaram deixar suas casas.

Apresentada em cidades como Ramalah, Jerusalém, Rabat e Nova York, a mostra já passou por São Paulo e desembarca no Museu Nacional com concepção museográfica do Atelier Marko Brajovic. Uma série de estruturas circulares, sem fim nem começo, ora estreitas e frequentemente claustrofóbicas concebidas por Brajovic ajudam a aproximar o visitante da história dos refugiados. "Criamos uma experiência de imersão, com uma estrutura labiríntica para aguçar os sentidos e levar as pessoas a uma situação próxima a dos refugiados. Pessoas que há 70 anos esperam uma solução pacífica para um conflito não vivem uma situação fácil", lembra Thereza.

Uma Longa Jornada

Exposição de fotos de 60 anos de história dos refugiados palestinos. Visitação até 28 de junho, de terça a domingo, das 9h às 18h30, no Museu Nacional da República (Esplanada dos Ministérios)

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade