Publicidade

Estado de Minas

Pesquisadora elabora livro com frases famosas sobre gastronomia do cinema

A estudiosa de cinema Mariza Gualano compilou mais de 600 citações na obra " As mais deliciosas frases sobre gastronomia do cinema"


postado em 22/06/2015 13:22 / atualizado em 22/06/2015 13:43

Entre citações que associam alimentos à alma das pessoas e referências bem mais mundanas ligadas à comida, a pesquisadora de cinema Mariza Gualano elaborou ampla compilação no livro As mais deliciosas frases sobre gastronomia do cinema. Com mais de 600 citações distribuídas em 226 páginas, a autora vai condensando momentos icônicos nas telas, como o do rude primeiro encontro entre o canibal de Anthony Hopkins (em O silêncio dos inocentes) com a agente interpretada por Jodie Foster. Ameaçado pela esperteza da adversária, o monstruoso tipo dispara: "Um pesquisador do censo uma vez tentou me testar. Eu comi o fígado dele com vagem e um bom Chianti".

Noutra linha, as frases jocosas têm bastante espaço, e variam de tonalidades. Mais ingênua é a pegada de Comer beber viver (1994), em que Shihung Lung filosofa: "Criar filhos é como cozinhar. Seu apetite sacia quando o prato está pronto".

A linha insinuante é reverenciada pela eventual sócia da cozinheira de Penélope Cruz, em Volver (2006): "Com seus decotes e seus mojitos vamos ganhar uma fortuna". Bebida também é isca, mas para o inconstante papel de Cate Blanchett, em Blue Jasmine (2013), incapaz de se conformar com o coquetel de seis remédios prescritos; para ela, "o único coquetel que ajuda é vodca martíni". O riso também vem aos litros com a tosca associação feita por Katrin Sab em Adeus, Lênin! (2003) que, depois de longo coma, é induzida a ver a Coca-Cola como "uma invenção socialista".

Especialista em discorrer sobre diálogos no cinema, Mariza Gualano traz um apanhado de situações em que pesam abordagens que conectam comida à sedução, a dados oníricos, a sensações mágicas e até a tópicos escatológicos. Desde o título, Royale com queijo apetece a cinema, estabelecendo contato com o clássico de Tarantino - Pulp fiction (1994). Confira alguns tira-gostos da publicação, abaixo.

(foto: Columbia TriStar do Brasil/Divulgacao)
(foto: Columbia TriStar do Brasil/Divulgacao)


"O pão é a realidade, mas o álcool é a imaginação" Daniel de Oliveira, visto em Cazuza -- O tempo não para (2004)

"Sou meio italiana, adoro cozinhar" "– E a outra metade?" "Norueguesa: eles adoram comer" Mary Steenbergen, provocante em Um século em 43 segundos (1979)

"Os americanos precisam saber que um terço da sua população come no carro" Thierry Lhermitte, em O palácio francês (2013)

(foto: Studio Hamburg Filmproduktion/Divulga??o)
(foto: Studio Hamburg Filmproduktion/Divulga??o)


"Não confio em pessoas que não bebem" Bruno Ganz, sábio em Trem noturno para Lisboa (2013)

(foto: Bavaria Film/Divulga??o)
(foto: Bavaria Film/Divulga??o)


"Dois chefes em uma cozinha é como duas pessoas dirigindo um carro" Martina Gedeck, ressabiada que só, em Simplesmente Martha (2001)

(foto: Paramount/Divulgação)
(foto: Paramount/Divulgação)


"Compramos utensílios sofisticados e os melhores utensílios estão no corpo" Josh Brolin, em Refém da paixão (2013)

(foto: Access Motion Picture/Divulga??o)
(foto: Access Motion Picture/Divulga??o)


"Gostaria de saber quando comer se tornou um show da Broadway" John Corbett, no longa Uma receita para a máfia (2000)

(foto: Fox Films/Divulga??o)
(foto: Fox Films/Divulga??o)


"O chamado da uva rouba nosso sono. Quando ela amadurece, chama o homem" Anthony Quinn, experiente em Caminhando nas nuvens (1995)

(foto: Paramount Pictures/Divulga??o)
(foto: Paramount Pictures/Divulga??o)


"Uma mulher apaixonada e feliz deixa queimar o suflê. Uma mulher apaixonada e infeliz se esquece de ligar o forno" Marcel Dalio, em Sabrina (1954)

"Servir é sorrir. O sorriso é a nossa gorjeta aos clientes" Louis de Funès, esbanjando simpatia em O grande restaurante (1966)

Royale com queijo - As mais deliciosas frases sobre gastronomia do cinema

Seleção feita por Mariza Gualano, em publicação editada pela Valentina. 226 páginas, preço (médio): R$ 34,90 e R$ 26,90 (eBook).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade