Publicidade

Estado de Minas

Diretor usa vídeos de 15 segundos para apresentar artistas de rua

Imagens correm o mundo digital e foram visualidas por 118 milhões de pessoas


postado em 31/12/2015 06:01 / atualizado em 30/12/2015 18:55

Bacchieri divulga gravações com duração de 15 segundos, nas quais músicos de mais de 300 cidades ganham visibilidade no mundo virtual(foto: Street Music Map/Divulgação)
Bacchieri divulga gravações com duração de 15 segundos, nas quais músicos de mais de 300 cidades ganham visibilidade no mundo virtual (foto: Street Music Map/Divulgação)
Ao caminhar pelas ruas, às vezes, transeuntes se deparam com músicos, que com diferentes melodias tocam em praças e calçadas para compor a trilha sonora da vida urbana. Esses instrumentistas e cantores já não passam despercebidos. O diretor Daniel Bacchieri decidiu abrir os olhos das pessoas de um jeito diferente. Com a página StreetMusicMaps, o brasileiro mobilizou andarilhos de todo o mundo para gravar as canções de rua que mais gostam e, de um jeito colaborativo: compartilham a experiência musical na internet e valorizam a voz de quem faz da rua, um palco.

No início de 2014, a ideia era apenas uma conta no Instagram, na qual começou a postar vídeos de músicos que admirava, mas hoje, com mais de 1.000 publicações e cerca de 700 colaboradores, o diretor recebe vídeos de amantes da música espalhados pelo mundo. Com uma página na rede social e um site oficial, com o nome de StreetMusicMaps, Bacchieri divulga gravações com duração de 15 segundos, nas quais músicos de mais de 300 cidades ganham visibilidade no mundo virtual.
“Mesmo a internet, que muitas vezes apontamos como responsável por afastar as pessoas da vida real, serve também para aproximar e potencializar novas relações e descobertas reais”, destaca Bacchieri. “A rua é o palco mais sincero e cru que artistas e fãs vão encontrar, pois a conexão é direta e não há intervenção ou artifício algum”, diz o diretor.

Segundo Bacchieri, há audiência e interesse pelos novos talentos, e ajudar a divulgar os nomes que procuram espaço é uma forma de colaborar com a troca de experiências culturais. “Sem dúvida, a parte mais interessante é a sensação de viajar pelo mundo por meio da música de rua; de 15 em 15 segundos você está num país diferente ou numa região distante do seu próprio país”, completa.

História

Como conta Daniel Bacchieri, a mobilização começou em uma viagem de férias pela Ucrânia, quando viu pela primeira vez um músico tocando a bandura, um instrumento de corda típico do Leste Europeu. Segundo ele, a curiosidade pela melodia foi imensa, então, já que sempre gostou das músicas feitas na rua, pensou em como se pode aprender cultura e história apenas pelas curiosidades que as cidades carregam. “O Instagram acabara de disponibilizar o formato vídeo na plataforma e resolvi filmar o homem tocando bandura, ao invés de fotografar a apresentação, então percebi que ali havia uma narrativa, que 15 segundos de filme eram interessantes para contar uma história”, completa o diretor.
 
A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade