Publicidade

Correio Braziliense

Museu de Planaltina ganha salão de arte contemporânea

A intenção é preservar o museu do local e fomentar a produção da cidade


postado em 06/01/2016 07:30

 

Planaltina vai ganhar salão de arte contemporânea(foto: Iano Andrade/CB/D.A Press)
Planaltina vai ganhar salão de arte contemporânea (foto: Iano Andrade/CB/D.A Press)
 

 

O 1ª Salão Mestre D’Armas tem como principal objetivo valorizar os artistas do Distrito Federal e Entorno, com a seleção das 20 melhores obras inscritas para serem vistas no Museu histórico e artístico de Planaltina, tombado como patrimônio cultural de Brasília. Serão aceitos trabalhos de diferentes áreas artísticas, como desenho, pintura, instalação, performance (com registro), fotografia, escultura, vídeo, gravura e intervenção urbana. As obras poderão ser instaladas ou apresentadas nas áreas internas e externas do museu. De acordo com Simone dos Santos Macedo, proponente do projeto, a exposição pretende movimentar a cultura da cidade e manter vivo o museu.

 

Simone conta que a ideia de fazer o salão de exposição, que ficará em cartaz por dois meses, veio para aumentar a visitação no museu, além de atrair mais turistas para o centro histórico de Planaltina. “Queremos colocar mais vida ali, dar oportunidade aos artistas locais e incentivar a criação da arte na cidade”, declara. Além do acervo permanente, os amigos do centro histórico incentivam a realização de rodas de conversa, saraus e encontros patrimoniais, para manter vivo o local, que em 2014 recebeu o título de ponto de memória. “A gente convida principalmente artistas locais para expôr e em 2015, por exemplo, tivemos uma exposição itinerante chamada Transborda e nos inscrevemos na semana dos museus do Ibram, que com a Secretaria de Cultura montou aqui outra exposição, com curadoria do artista plástico Wagner Barja”, conta a agitadora cultural.

Thiago Jorge, ator e produtor executivo do projeto, acredita que o mais importante na preservação do museu seja possibilitar às novas gerações os testemunhos materiais da vida e cultura dos seus antepassados. “Quando mostramos um acervo físico, com uma arquitetura bonita como a do centro histórico, a arte se torna mais viva para quem a percebe, já que a obra vista pessoalmente é sempre mais estimulante do que aquela vista somente por fotos”, afirma.

O ator lembra que poderão participar artistas do Distrito Federal e da região do Entorno, dos municípios de Abadiânia, Água Fria de Goiás, Águas Lindas de Goiás, Alexânia, Cabeceiras, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Cristalina, Formosa, Luziânia, Mimoso de Goiás, Novo Gama, Padre Bernardo, Pirenópolis, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso de Goiás e Vila Boa, no Estado de Goiás.

Além de possibilitar uma maior ocupação do espaço físico do museu, Simone acredita que, ao levar artistas de fora para expôr em Planaltina, é possível chamar a atenção da população para a preservação do local, importante ponto de cultura do DF. “Nós queremos resgatar a intensa atividade que o museu vivia nas décadas de 1960 e 1970, já que infelizmente, com o tempo e a falta de investimento, as ações culturais no centro histórico diminuíram bastante”, lembra.

Para incentivar a cultura local, os amigos do centro histórico pretendem fazer um evento de abertura da exposição com entrega de prêmios para os primeiros colocados e apresentação de um quinteto de jazz de Planaltina. Os 20 artistas selecionados serão anunciados em 12 de fevereiro e o Salão Mestre D’aarmas entra em cartaz a partir de 21 de março e segue até 20 de maio de 2016.

I Salão Mestre
D´Armas, mostra de arte contemporânea
Mais informações através do site www.salaomestredarmas.com.br.
Inscrições: de 1º de dezembro de 2015 até as 18h de 29 de janeiro de 2016.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade