Publicidade

Estado de Minas

Paulinho da Viola é homenageado no Clube do Choro

O projeto iniciado hoje foi batizado de Tributo a Paulinho da Viola e vai prosseguir até a primeira quinzena de dezembro, apresentando um total de 120 shows


postado em 11/03/2016 22:38 / atualizado em 12/03/2016 11:02

(foto: CB/D.A Press)
(foto: CB/D.A Press)


O projeto do Clube do Choro de 2016, que celebra Paulinho da Viola, foi aberto, na noite desta sexta-feira (11/03), com o show no Espaço Cultural do Choro, que teve como atração o homenageado. Inicialmente, apresentou-se o grupo Cinco Estrelas formado por jovens músicos da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabelo. Em homenagem a Paulinho, eles tocaram "Beliscando" e "Sacudindo", choros compostos pelo artista carioca. Em seguida, o grupo Choro Livre reverenciou Paulinho, que comemora 50 anos de carreira, com a música "Choro pro Waldir".

Leia mais em Diversão e Arte

Reco do Bandolim, presidente do Clube do Choro, fez um breve histórico da trajetória do homenageado destacando sua faceta de chorão. Às 22h20, Paulinho surgiu em cena, falou da sua relação com o choro e com Brasília e tocou um clássico de sua obra intitulado "Choro negro", que compôs na Alemanha, em 1972. Em seguida, lembrou de um raro choro de Ari Barroso intitulado "Chorando", que marcou a sua adolescência.

Na parte final do show Paulinho interpretou alguns sambas clássicos de sua obra como "Coração Leviano", "Pecado capital", "Sinal fechado" e "Timoneiro". Sempre elegante o cantor se dirigiu a Carlos Elias, ex integrante da ala de compositores da Portela, morador de Brasília desde a década de 1970, que o assistia em uma mesa em frente ao palco.

O público que assistiu ao show no Espaco Cultural do Choro participou ativamente do espetáculo, não só aplaudindo como também fazendo coro. Paulinho finalizou a apresentação cantando "Doce melodia", um classico da velha guarda da Portela.




O projeto iniciado hoje foi batizado de Tributo a Paulinho da Viola e vai prosseguir até a primeira quinzena de dezembro, apresentando um total de 120 shows com músicos consagrados e instrumentistas da cidade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade