Publicidade

Estado de Minas

Os dez mandamentos: maior bilheteria do país com salas vazias

Longa baseado na novela da Record ganhou sobrevida após a estreia da nova temporada e versão estendida na Páscoa


postado em 11/04/2016 13:09

(foto: Record/Divulgação)
(foto: Record/Divulgação)


O longa-metragem Os dez mandamentos, versão condensada da novela da Record, em cartaz desde janeiro, está próximo de se tornar o filme nacional de maior bilheteria desde Tropa de elite 2, em 2010. O ranking é acompanhado desde o início da companhia Embrafilme, em 1970. Um fato curioso, no entanto, é que apesar dos números hiperbólicos divulgados pela distribuidora Paris Filmes, o filme enfrenta salas de cinema vazias desde a estreia.

Oficialmente, o filme teria vendido mais de 11 milhões de ingressos desde janeiro, quando entrou em cartaz. O número, no entanto, não reflete o número de pessoas que de fato chegaram a assistir a produção. Pelas redes sociais, surgiram relatos de sessões 'esgotadas' com várias fileiras vagas, o que rendeu piadas.

As visões sobre os números oficiais divergem. A Paris Filmes afirma que vendeu 11,205 milhões de bilhetes, contra 11,146 de Tropa 2. Pela Ancine, no entanto, o filme bíblico ainda é a terceira produção mais rentável, atrás de Tropa 2, em primeiro e Dona Flor e seus dois maridos.

 

O fenômeno pode ser explicado, em parte, pela enorme procura de ingressos por parte de pastores da Igreja Universal. Os relatos são de que as igrejas estariam adquirindo os bilhetes para distribuir aos fiéis mais carentes.

No Recife, houve o caso de um único comprador que adquiriu 22 mil bilhetes. De acordo com o portal Uol, a pessoa, ligada à Igreja Universal, pagou R$ 220 mil pelas entradas.

O filme ganhou uma sobrevida após a estreia da segunda temporada do folhetim, que agora acompanha a jornada de Moisés rumo à Terra Prometida. Foi lançada também uma versão estendida para a Páscoa, com cenas inéditas do novo ano.

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade