Publicidade

Estado de Minas

Mundo pop: As bahias e a cozinha mineira unem militância e música

O grupo que surgiu em 2008 na USP, trata temas como preconceito, machismo e feminismo.


postado em 22/04/2016 07:12 / atualizado em 20/04/2016 17:44

(foto: Julieta Benoit/Divulgação. Banda As Bahias e a Cozinha Mineira.)
(foto: Julieta Benoit/Divulgação. Banda As Bahias e a Cozinha Mineira.)
 
Criada pelo trio de então estudantes,  Assussena Assussena, Rafael Acerbi e Raquel Virgínia em 2008,  a banda As bahias e a cozinha mineira começou a se apresentar em festas universitárias da Universidade de São Paulo, em 2011. A idéia do nome surgiu porque as duas cantoras e fundadoras tinham o mesmo apelido 'Bahia', e Rafael é de Minas Gerais. 
 
 
O grupo de MPB aborda em suas canções temas que giram em torno da militância contra o machismo e a homofobias.  O grupo chama a atenção porque além de letras com a temática política, as duas cantoras são mulheres transexuais. 'A ideia nunca foi lançar um disco político, mas uma obra artística', afirmou Assucena em entrevista ao Correio.
 
Confira o novo album da banda: 
 
 
Mulher, novo album da banda foi lançado no final de 2015 e possui 13 faixas. As músicas tem apelo político que falam sobre diversos tipos de mulheres, dos preconceitos e dificuldades de cada tipo enfrenta. "No processo de composição do disco tivemos uma experiência de imersão na Música Popular Brasileira. Nosso álbum tem uma sonoridade bastante plural e provocativa", contou Rafael. Além de artistas como Maria Bethânia, Elza Soares, Gilberto Gil e Caetano Veloso, o disco teve influências de Amy Winehouse.  
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade