Publicidade

Correio Braziliense

Sequência de Independence day estreia amanhã

20 anos depois do primeiro filme, a continuação conta com quase todo o elenco do longa original (exceto Will Smith) e orçamento de US$ 200 milhões


postado em 22/06/2016 07:33 / atualizado em 22/06/2016 13:00

Independence day mantém a tradição do original e devasta cidades e monumentos, agora com efeitos especiais mais elaborados(foto: Reprodução Internet)
Independence day mantém a tradição do original e devasta cidades e monumentos, agora com efeitos especiais mais elaborados (foto: Reprodução Internet)
 
Eles voltaram. Com naves e armas maiores, os alienígenas que tentaram exterminar a humanidade em 4 de julho de 1996 estacionam outra vez, 20 anos depois, seus gigantescos veículos na Terra. Com quase todo elenco original (a exceção fica para Will Smith), Independence day retorna com a mesma graça e despretensão do primeiro filme, derrubando monumentos e devastando cidades, só que agora em 3D. Com orçamento de US$ 200 milhões, a continuação do clássico dos anos 1990 estreia amanhã nos cinemas brasileiros.

A  decisão de produzir um novo capítulo para o icônico filme demorou a sair do papel. Por muito tempo, o diretor Roland Emmerich se recusou a dar continuidade ao seu maior sucesso nas telonas. O medo de fazer mais do mesmo era a justificativa de Emmerich. Só em 2011, ele assinou contrato com a Fox para dar continuidade à história que rendeu, à época, US$ 807 milhões nas bilheterias. Ao que tudo indica (e O ressurgimento deixa claro), estará à frente ainda de novos filmes da franquia.
 
 

Se Will Smith desfalcou o time campeão por, segundo o diretor, estar cansado de estrelar sequências e ficção científica, os novatos Liam Hemsworth, Jessis T. Usher, Maika Monroe e as chinesas Angelababy e Grace Huang reforçam o elenco e incorporam novos dramas ao enredo. A história, em si, não é muito diferente da original: os aliens querem de novo exterminar os humanos e extrair do núcleo da Terra combustível para as suas estrondosas naves.

Assim como da outra vez, os terráqueos têm quase nenhuma chance contra o poderio alienígena, mesmo que, nos 20 anos que separam os dois ataques, tenham incorporado muito da tecnologia extraterrestre às armas e invenções humanas. Se as parafernalhas alienígenas são muito melhores, os homens, assim como no antecessor, capricham na dose de determinação, esperança e sacrifício.
 
A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade