Publicidade

Correio Braziliense

Brasilienses divulgam desenhos e mensagens lúdicas pelos muros da cidade

O grafite abraça desde palavras de ordem a poesia, passando por letras de música e frases de protesto


postado em 19/07/2016 07:33 / atualizado em 19/07/2016 13:39

Mensagens estão espalhadas por diversos locais da cidade(foto: Sormani Vasconcelos/Divulgação)
Mensagens estão espalhadas por diversos locais da cidade (foto: Sormani Vasconcelos/Divulgação)
 

Desde os homens das cavernas, com suas pinturas rupestres, a humanidade transforma as paredes em tela, para fazer arte ou se comunicar. Seja com uma inscrição caligrafada, seja com pinturas e símbolos, os muros e diversos tipos de superfícies e estruturas da cidade estão cada vez mais decorados por mensagens e desenhos.

Em Brasília é possível ver mensagens decorando as paredes e muros da capital. Desde frases de protesto a letras de músicas e poesias, tudo tem virado grafite. O estudante de história da arte, Sormani Vasconcelos, que já que organizou eventos e coordenou projetos com outros grafiteiros de Brasília, conta que hoje a população vê o grafite sob outra perspectiva: “Os artistas estão com mais facilidade para ir às ruas em qualquer horário do dia. O grafite deixou de ser aquela atividade das madrugadas e até a abordagem da polícia mudou”.

Mas, para Sormani, ainda há uma diferenciação na aceitação do grafite e da pixo: “A aceitação do grafite passa pela separação dele com a pichação. Em geral as pessoas veem a importância do grafite na mudança da paisagem de locais abandonados”, completa.

Da década de 1970, quando jovens nova-iorquinos começaram pichar as primeiras letras, símbolos e desenhos nas paredes da cidade, até os dias de hoje, a arte do grafite evoluiu bastante. Mas também esteve envolta de polêmicas. De um lado estavam aqueles que enxergavam o grafite como um movimento artístico e, do outro, aqueles que viam as pichações como vandalismo e poluição visual.

A matéria completa está disponível aqui para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade