Publicidade

Correio Braziliense

Maestro Jorge Antunes apresentará a 'Sinfonia dos direitos'

Evento será domingo, às 16h, no estacionamento entre a Funarte e a Torre de TV


postado em 27/05/2017 07:30

Jorge Antunes retomou a ideia da Sinfonia das Diretas, tocada em junho de 1984(foto: F. Gualberto/CB/D.A Press)
Jorge Antunes retomou a ideia da Sinfonia das Diretas, tocada em junho de 1984 (foto: F. Gualberto/CB/D.A Press)

Quando começou a compor a Sinfonia dos direitos, o maestro Jorge Antunes queria retomar a ideia executada com a Sinfonia das Diretas, em 1984: fazer uma peça musical tocada por buzinas em forma de protesto aos acontecimentos políticos recentes.

Antunes escreveu a Sinfonia dos direitos em parceria com os poetas TT Catalão e Aldo Moraes. O maestro fez um chamamento no YouTube para convocar músicos e voluntários para executar a peça, programada para ser tocada no domingo (28/5), no estacionamento entre a Funarte e a Torre de TV. A adesão foi grande. Antunes conseguiu 14 instrumentistas e 50 buzinas.

Estudou as tonalidades das notas e chegou a uma combinação de fá, sol sustenido e si. “Fiz uma melodia simples que será tocada pelas buzinas”, avisa. Entre os instrumentos, haverá flauta, clarineta, violino, violão, tiorba, guitarra e baixo elétricos, contrabaixo acústico, teclado e bateria. A partitura foi escrita sem orquestração e as notas podem ser tocadas por qualquer instrumento.

A ideia é repetir a experiência da Sinfonia das Diretas, composta em 1984 para embalar o grito de Diretas já que tirou o país da ditadura militar. Na época, a letra da peça pedia democracia e liberdade.

Hoje, volta a pedir eleições diretas, mas também protesta contra as reformas. A sinfonia deve durar 40 minutos e só começa a ser encenada às 16h, mas o compositor pediu que os motoristas voluntários e seus carros e motos cheguem ao local por volta de 14h para que possa organizá-los.

Sinfonia dos Direitos
Orquestra de buzinas, conjunto instrumental, coro e sons eletrônicos. Domingo (28/5), às 16h, no estacionamento entre a Funarte e a Torre de TV. Entrada franca.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade