Publicidade

Correio Braziliense

Grupo cultural Pé de Cerrado se apresenta na capital

A meia-entrada custa R$ 20 e o evento tem classificação indicativa livre


postado em 19/10/2017 07:30

O grupo de seis músicos toca MPB, músicas instrumentais e folclóricas em show no Clube do Choro(foto: grupo cultural Pé de Cerrado)
O grupo de seis músicos toca MPB, músicas instrumentais e folclóricas em show no Clube do Choro (foto: grupo cultural Pé de Cerrado)


Composta por seis multi-instrumentistas, o grupo cultural Pé de Cerrado se apresenta, hoje e amanhã, no Clube do Choro, com repertório inédito. Conhecidos por espetáculos de performances circenses e que englobam canções, teatro e dança, os seis integrantes do grupo deixam alguns aspectos performáticos de lado e permitem prevalecer músicas instrumentais nas duas noites, com shows intitulados Homenagem aos mestres.

“Misturamos cultura popular, MPB e instrumental”, afirma o sanfoneiro e cantor Pablo Ravi. O repertório divulga trabalhos autorais do Pé de Cerrado, inclusive Roda paraíso, música instrumental composta pelo integrante Bruno Berê, e exalta canções de Hermeto Pascoal, Sivuca, Edu Lobo e Luiz Gonzaga, a quem os músicos do grupo se referem como mestres. O cantor, compositor e violonista Bruno Ribeiro explica: “Queremos levar, além do instrumental, as nossas músicas interativas para o Clube do Choro, ainda que seja um lugar mais intimista. Para nós é uma realização ver o público interagir”.

O grupo, que representou Brasília na mostra Brasil Junino na Europa este ano e se apresentou em Portugal e na Espanha, garante ter tido boa aceitação do público estrangeiro. Já em relação ao Brasil, Ribeiro considera que o Pé de Cerrado assume papel importante para que brasilienses abracem a cultura do país “com mais carinho”. “Temos a missão de fazer a capital vivenciar mais a cultura do Brasil. Brasília é muito nordestina, é uma pena que continue tão focada na cultura internacional.”


Pablo Ravi concorda, mas é otimista: “O cenário brasiliense precisa receber a força da cultura brasileira, e hoje já existe mais abertura para ela”. Para oferecer ao público a possibilidade de imergir na cultura, o grupo apresenta a dança folclórica indígena caboclinho e, descendo do palco, convida o público a participar da performance. “Não tem jeito, não, no nosso show o povo tem que dançar”, afirma Ravi. Bruno Ribeiro conta que o grupo tentará fazer um momento de ciranda, tradicional nas apresentações do Pé de Cerrado, mesmo com as limitações de mesas e cadeiras no espaço, e garante: “Vamos trazer à tona três facetas da música brasileira – a instrumental, a popular e a mais interiorana – em um formato inovador e divertido”.

*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira


Homenagem aos mestres
No Clube do Choro (Eixo monumental), hoje e amanhã, às 21h. Ingressos a R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada). Classificação indicativa livre.
 
 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade