Publicidade

Correio Braziliense

Três exposições convidam o público a viver experiências contemporâneas

De instalações sonoras a esculturas, há variedade entre as obras apresentadas


postado em 01/11/2017 07:30 / atualizado em 01/11/2017 11:21

Obra de Luiz Olivieri: instalação sonora(foto: Luiz Olivieri/Divulgação)
Obra de Luiz Olivieri: instalação sonora (foto: Luiz Olivieri/Divulgação)
 
 
Das instalações sonoras de Luiz Olivieri à arte pontuada por características industriais de Sérvulo Esmeraldo, a programação de exposições desta semana está especialmente farta. São três mostras inauguradas em espaços diferentes e com propostas que têm a experimentação e a contemporaneidade como traço comum.

Na Referência Galeria de Arte, o carioca Walter Goldfarb faz uma pequena retrospectiva dos últimos 25 anos, um inventário no qual revisita técnicas e linguagens desenvolvidas ao longo dos anos. A linguagem, ele avisa, é única, mas se divide em muitas das facetas que pautaram os trabalhos ao longo da trajetória. “Tanto como indivíduos quanto como artistas, somos pedras brutas. Fui lapidando minha linguagem artística e visual paralelamente às minhas questões e como me vejo no mundo”, avisa o artista, que chamou a exposição de As múltiplas faces de Eros. “E uma das questões desenvolvidas nesses anos todos foi a pintura.”

Goldfarb pinta diretamente sobre lona crua e o fato de não preparar a superfície para receber a tinta tem grande influência na textura e no resultado do trabalho. Ele mesmo pensa em metáforas que envolvem a ideia de pele e território para descrever uma cartografia particular. “É como se ele (o trabalho) estivesse na minha alma e na minha carne”, explica o artista, que não usa pincel. 

Premiação

A sexta edição do Prêmio Sesi/Senai Marcantonio Vilaça ocupa o espaço cultural do Tribunal de Contas da União (TCU) com obras dos cinco artistas premiados e uma homenagem a Sérvulo Esmeraldo, morto em fevereiro deste ano. Deste último, os trabalhos apresentados dialogam com a obra de 11 artistas contemporâneos convidados especialmente para a exposição A intenção e o gesto, terceira edição do projeto Arte e indústria, realizado em paralelo ao prêmio.

Selecionados por uma comissão, Pedro Motta (Minas Gerais), Fernando Lindote (Santa Catarina), Daniel Lannes (Rio de Janeiro), Jaime Lauriano (São Paulo) e Rochelle Costi (São Paulo) terão direito a bolsa e acompanhamento crítico para desenvolver um projeto que será exposto em mostra itinerante. “Dessa vez, o prêmio trouxe uma coisa curiosa: considerou artistas que têm uma trajetória, mas que não tinham alcançado a repercussão nacional que merecem”, explica Marcus Lontra, curador da exposição. Segundo ele, dos 647 inscritos, quase 200 tinham mais de 60 anos. “E isso se refletiu na seleção e reverberou na premiação”, diz.

A homenagem a Sérvulo Esmeraldo faz parte de um projeto que procura evidenciar o trabalho de artistas cujas obras têm uma ligação com a indústria. Esse segmento do Marcantonio Vilaça costumava ficar restrito à mostra inaugural, realizada em São Paulo, e não participava das itinerâncias do prêmio. “Essa é a primeira vez que estamos trazendo todo o projeto”, garante Lontra. Pelo projeto já passaram Abraham Palatnik e Amélia Toledo.

A Alfinete Galeria recebe Espaço ressonante, de Luiz Olivieri, e Operações subliminares, de Barbara Mangueira. A partir de registros fotográficos, Barbara monta uma enciclopédia focada na gestualidade das mãos, enquanto Olivieri propõe três esculturas sonoras nas quais o público pode se acomodar para ouvir sons produzidos por sintetizadores sensíveis a ondas solares e eletromagnéticas. Entre os sons captados estão os de invasões do Distrito Federal, um recorte que representa um desejo do artista de falar de territórios e linhas invisíveis. “Queria provocar dissonâncias nas fronteiras geopolíticas. É um desejo de capturar esses espaços e relacionar as ondas com questões sociais”, explica Olivieri.


Espaço Ressonante
De Luiz Olivieri. Operações subliminares . De Barbara Mangueira. Visitação até  18 de novembro, de quinta e sexta, das 14:30h às 18h, e sábado, das 15h às 20h, na Alfinete Galeria (CLN 103 bloco B loja 66)



As múltiplas faces de Eros
De Walter Goldfarb.Visitação até 2 de dezembro, de segunda a sexta, das 12h às 19h, e sábado, das 12h às 17h, na Referência Galeria de Arte (CLN 202 Bloco B Loja 11 — Subsolo).
 
6º Prêmio Marcantonio Vilaça
Visitação até 22 de dezembro, de segunda a sexta, das 9h às 19h, no Espaço Cultural Marcantonio Vilaça (Tribunal de Contas da União — TCU).
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade