Publicidade

Correio Braziliense

Homenageada da CCXP, Fernanda Montenegro destaca a importância da arte

'Um país sem respeito a cultura nunca chega a ser uma nação', declarou a atriz


postado em 08/12/2017 13:47

São Paulo - Após homenagear Renato Aragão, Frank Miller e Mauricio de Sousa, chegou a vez da Comic Con Experience celebrar uma mulher. A escolhida foi a atriz brasileira Fernanda Montenegro, que subiu ao palco do Auditório Cinemark nesta sexta-feira (8/12) para receber o tributo.

Durante o painel que celebrou os 73 anos de carreira, Fernanda falou sobre a importância da cultura no Brasil, relembrou momentos da carreira e desfilou bom humor ao falar sobre seu passado nerd.

Ao subir ao palco, bastante aplaudida, Fernanda, que já ganhou um Emmy internacional e foi indicada ao Oscar de melhor atriz, se mostrou surpresa: "Um momento como esse na minha vida... Eu não esperava".

A atriz ainda emendou um discurso sobre a valorização da arte. "É vital fazer arte no Brasil de hoje. É vital que a cultura no Brasil seja valorizada e respeitada. Um país sem respeito a cultura nunca chega a ser uma nação. Qualquer movimento numa vida é um ato de arte", define.

Fernanda Montenegrou lembrou que ao longo da carreira se dedicou a televisão, ao cinema e ao teatro. Ela contou que subiu ao palco pela primeira vez aos 6 anos para interpretar um sargento homem com apenas quatro falas. Aos 15, se inscreveu no curso de rádio-ator da rádio do Ministério da Cultura. Na infância esteve diversas vezes nas salas de cinema. Tudo isso a tornou atriz: "Um dia, eu estou aqui".

Atualmente na trama O outro lado do paraíso, de Walcyr Carrasco, ela exaltou a presença do elenco que, nas falas dela, "soma mais de 500 anos", formado por ela, Laura Cardoso, Lima Duarte e Nathalia Timberg. "Walcyr teve coragem de fazer uma novela em que todas idades estão presentes. E que os velhos têm uma inoperância. Estamos inteiros e em ótimos papéis, graças a sensibilidade de um autor como o Walcyr", afirmou.

Sobre o passado nerd, a carioca lembrou que nos anos 1930 ia até as bancas em buscas dos suplementos juvenis, que ela chamou de a pré-história dos quadrinhos. Entre as revistas e personagens favoritos de Fernanda estão Flash Gordon, O fantasma e Pindoca.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade