Publicidade

Correio Braziliense

Conheça artistas de Brasília que usam as redes sociais como trabalho

Artistas da cidade usam as redes sociais como ferramenta de divulgação do trabalho e conquistam bons resultados com a exposição na internet


postado em 27/12/2017 07:01 / atualizado em 27/12/2017 15:55

Natália Carreira (centro):
Natália Carreira (centro): "Trabalhar só com mulheres é sensacional. Já era o que eu queria desde o começo. Tem mais a ver com o que eu acredito, porque são músicas sobre mim e sobre outras mulheres que eu conheço" (foto: Maria Luiza Graner/Divulgação)

 
As páginas e perfis nas mídias sociais estão presentes no dia a dia de grande parte das pessoas. Entretanto, para muitos, elas são mais que uma ferramenta de lazer — são também instrumento de trabalho. É o caso de diversos artistas da cidade, que utilizam o YouTube, Facebook e Instagram para disseminar seu trabalho e se aproximar do público.

Publicando músicas autorais e covers, fazendo transmissões ao vivo e interagindo com os fãs nas redes sociais, eles descobriram a internet como uma grande aliada para a execução de seus projetos profissionais e para o crescimento musical.

"Música sempre esteve presente na minha vida. Foi uma coisa que, desde pequena, sabia que era o que eu tinha que fazer", conta Natália Carreira, 21 anos. A jovem brasiliense é a voz por trás da faixa Geminiana, que fez sucesso nas redes sociais este ano. Entretanto, antes da canção chegar aos ouvidos do público, Natália cantava covers, publicados em seu canal no YouTube, criado em 2016.

"Eu tive uma resistência, uma demora para conseguir ouvir a minha voz gravada, mas sempre fui muito encorajada. Já havia tentado fazer um canal umas três vezes. Eu falava ‘agora vai!’, mas nunca ia!", conta Natália. Ela explica que, com o apoio de uma namorada da época, criou coragem para publicar seus vídeos na internet. No início, ela publicava versões de músicas de outros artistas, mas logo mudou de ideia. "Em pouco tempo, eu desisti (dos covers) e fui para um lado mais autoral, porque eu percebi que os covers não estavam me dando o retorno que eu esperava", explica Natália.
 
 
 
Geminiana, primeira canção original publicada por Natália, funcionou. "Deu muito retorno. No Facebook, foram cerca de 300 mil visualizações, 6 mil compartilhamentos e eu fiquei muito empolgada.” Atualmente, o vídeo ultrapassa 25 mil visualizações no YouTube.

Questionada sobre as dificuldades de trabalhar com mídias sociais, Natália diz: "Eu acho que você precisa ter sempre coragem para testar. Você nunca vai saber se não tentar".

Reality
Você já deve ter ouvido o nome dela por aí: a brasiliense Babi Ceresa, 24 anos, ficou conhecida em todo o país após participar desta temporada do reality show musical The Voice Brasil. Entretanto, o contato da brasiliense com a música é antigo.

Babi é dona de um canal que leva seu nome no YouTube. Foi nessa plataforma que a artista começou a mostrar sua voz ao público. "Eu criei um canal no YouTube em 2005 e comecei a postar vídeos para divulgar meu trabalho como cantora. Era super caseiro, bem simples, mas fez muito sucesso entre meus amigos e família", explica Babi.
  
No início, o canal de Babi era recheado de covers, em que a cantora interpretava as canções de diversos artistas de um jeito particular. Após o sucesso das gravações, o crescimento musical e a participação no The Voice, ela viu que era hora de mostrar suas canções originais ao público. "Com esses acontecimentos, percebi que eu tenho que mostrar o meu trabalho como cantora autoral", ressalta Babi, que já divulgou três de suas canções originais no YouTube, e pretende continuar nesse caminho.
 

O sucesso é tanto, que os vídeos da cantora passaram a ocupar outras redes sociais, recebendo milhares de visualizações e compartilhamentos. Os perfis de Babi no Facebook e no Instagram também contam com pequenas gravações. Sobre os desafios de trabalhar com internet, ela destaca: "Ao se lançar nesse ambiente, você sabe que é muito fácil receber críticas. Mas eu não vejo isso como desvantagem". A brasiliense, agora, trabalha na finalização de um EP, com seis faixas autorais.

Longa trajetória
Além de trabalhar com as canções autorais nas mídias sociais, Tiago Gasta é professor de música em Valparaíso(foto: Beatriz Matos/Esp. CB/D.A Press)
Além de trabalhar com as canções autorais nas mídias sociais, Tiago Gasta é professor de música em Valparaíso (foto: Beatriz Matos/Esp. CB/D.A Press)
 
 
"No início, eu não tinha muita ligação com a música. Eu escrevia e comecei a descobrir a vontade de unir poesia e música. Hoje, isso virou meu trabalho". Tiago Gasta, 37 anos, diz que o contato com a música se deu aos 15, quando ganhou uma guitarra de presente. O brasiliense é responsável pelo disco Prole Fera, lançado em 2011.

Gasta usa as redes sociais para divulgar seu trabalho há mais de 10 anos. Seu canal no YouTube conta com mais de 100 vídeos, a maior parte gravações de músicas autorais. Segundo ele, o contato com as redes sociais foi natural. "Há uma grande demanda, a galera começou a pedir e eu comecei a postar."

Hoje, Gasta faz sucesso não só no YouTube, mas também no Facebook e no Instagram. Para ele, uma das grandes vantagens das redes sociais é a aproximação que elas possibilitam entre artista e público.

Com a proximidade com o público na internet, Tiago encontrou oportunidade para se aventurar em outras áreas: o músico pretende lançar um livro com apoio coletivo em breve. Ele explica que o projeto é uma das demandas dos fãs, que vão até ele por meio das redes sociais. O músico explica que se sente grato pelas portas que a tecnologia abriu em sua vida. "Eu só vejo vantagens. Desvantagem seria não haver internet", brinca Tiago.
 
 
 
*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade