Publicidade

Correio Braziliense

Diversidade de gêneros musicais marca a música atual

No Brasil, por exemplo, a mistura musical chamou a atenção e sinônimos como 'funknejo' e 'rapnejo'


postado em 02/01/2018 07:35 / atualizado em 02/01/2018 09:21

O JumpStyle ficou conhecido mundialmente na voz do cantor Psy em Gangnam Style(foto: TIM WIMBORNE)
O JumpStyle ficou conhecido mundialmente na voz do cantor Psy em Gangnam Style (foto: TIM WIMBORNE)

O ano de 2017 trouxe muitos triunfos para a ascensão de diversos gêneros musicais. Luis Fonsi apresentou ao mundo o ritmo alegre e animado da música latina com Despacito, Justin Bieber, DJ Khaled, Quavo, Chance the Rapper e Lil Wayne, mostraram que a mistura do pop com o hip-hop e as batidas de música eletrônica dão certo. Um exemplo foi o sucesso de I’m the one.

No Brasil, a mistura dos gêneros musicais chamou a atenção e sinônimos como “funknejo” e “rapnejo” apareceram no vocabulário dos ouvintes. A junção do funk, do rap e da música eletrônica com o sertanejo deu certo e hits como Mentalmente, de MC Kevinho com Naiara Azevedo, Eu vou te buscar de Gusttavo Lima e do rapper Hungria, e Suave, do DJ Alok com a dupla sertaneja Matheus & Kauan, caíram na boca do povo.
 

Entretanto, de acordo com o Spotify, 10 gêneros musicais que até então não tinham tanta notoriedade nos anos anteriores conquistaram espaço em 2017. São eles: Melodic Power Metal, Chaotic Black Metal, Chillhop, Trap Latino, Future Funk, Jumpstyle, Serialism, Cinematic Dubstep, Vintage Swoon e Gamecore.

A pedido do Correio, Hugo Leonardo, professor da Universidade de Brasília (UnB) e doutor em música, e Renan Ventura, compositor e produtor musical, analisaram os estilos dos gêneros selecionados pelo Spotify em seu top10 de gêneros musicais em ascensão. Veja abaixo os comentários dos pesquisadores.

Misturas curiosas


Melodic Power Metal: é um estilo mais pesado do metal, com uma linha mais punk. Esse gênero traz batidas rápidas de baterias com dois bumbos, guitarras distorcidas com muitos solos, duos e um vocal limpo. As músicas são relacionadas a fantasia, mitologia europeia, luta por liberdade, guerra e morte.
 
 
 
Chaotic Black Metal: está relacionado ao metal e à linha black metal, é caracterizado por seguir uma linha de temas relacionados ao satanismo e à vertente antirreligiosa. Os vocais são agressivos, com presença de teclados, fortes batidas de baterias e guitarras tocandos rifs, criando sonoridade dissonante, passando uma sensação estranha a quem ouve.
 

 
Chillhop: tem como característica as batidas eletrônicas mais lentas, com andamento calmo, e uma batida de bateria sampleada ligada aos elementos de jazz, criando uma atmosfera relaxante e agradável que remete ao Chillout, Downtempo e ao Trip-hop, criados na década de 1990.
 

 
Trap Latino: esse som remete um pouco do estilo hip-hop americano, com toques de música eletrônica, efeitos sonoros, alguns com instrumentos latinos, sendo cantados em espanhol.
 

 
Future Funk: gênero que emergiu do Vaporwave no verão de 2012. É caracterizado por músicas antigas, com referências às músicas eletrônicas japonesas, além de ter traços de discoteca dos anos 1970 e 1980. 
 
 

JumpStyle: é um estilo de dança, sendo uma subseção do HardDance. As faixas são mais melódicas, com batidas entre 135 a 180 BPM (batidas por minuto). São consideradas as músicas mais adequadas para se dançar o Jumpstyle, geralmente em academias.
 
 
Serialismo: tipo de música pós-tonal que advém de uma técnica de composição criada no início do século 20, tendo o dodecafonismo sistematizado por Arnold Schönberg como a primeira forma de composição serial. O sistema se resume em atribuir uma sequência de números às notas musicais para compor todos os elementos harmônicos e melódicos da peça.
 

 
Cinematic Dubstep: variação do Dubstep, o gênero é marcado pelo uso intenso de subgraves, com sons de frequências baixas com 16 ou 32 compassos. Alguns artistas do dubstep incorporaram outros gêneros como o techno, o Basic Channel, música clássica e heavy metal.
 
 
 
Vintage Swoon: podemos considerar uma “classe” criada pelo Spotify, para remeter a músicas antigas de 1940 e faixas do início do rock’n’roll dos anos 1950.
 

 
Gamecore: a maioria das músicas deste gênero é totalmente eletrônica, com muito teclado, sons sintetizados e poucos instrumentos. Os efeitos sonoros remetem ao som de jogos de computadores ou de consoles clássicos como Mário Bros.





Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade