Publicidade

Correio Braziliense

Teatro para crianças cria atmosfera mágica e sensorial

Espetáculo sobre Bach tem cenas inspiradas nas músicas do compositor


postado em 03/01/2018 07:30

Espetáculos infantis criam uma experiência teatral prazerosa e cheia de aprendizado para as crianças(foto: Eros Lima de Nardi/Divulgação)
Espetáculos infantis criam uma experiência teatral prazerosa e cheia de aprendizado para as crianças (foto: Eros Lima de Nardi/Divulgação)

Para encantar o olhar exigente dos pequenos espectadores, espetáculos como Bê a Bach e Achadouros, ambos com temporada em Brasília, investem no trabalho nos elementos cênicos. A movimentação dos atores no palco, a expressão corporal, as cores e as texturas que envolvem cenários e figurinos ajudam a criar a atmosfera ideal para contar boas histórias sem a necessidade constante da palavra. A utilização da música e a criação de gestos cheios de significado atraem diferentes fases da infância para os desdobramentos do teatro.

Sob influência do universo sonoro de Johann Sebastian Bach, as companhias teatrais Noz de teatro, dança e animação, e Furunfunfun se uniram para criar Bê a Bach. O espetáculo é delicado e estimulante e as cenas se desenvolvem acompanhadas por música ao vivo, com flauta, violão e violoncelo.

Além de transformar a experiência cênica em uma viagem multissensorial pelo mundo da música clássica, a peça estimula a formação de público, incentivando o diálogo musical e teatral desde a infância. A trilha sonora se complementa ainda com gravações de música eletrônica e promove um encontro de gerações, em uma união eficaz entre clássico e contemporâneo.

Marcelo Zurswski, diretor de Bê a Bach, conta que o espetáculo foi criado a partir de muitas experimentações. “Primeiro selecionamos várias músicas de Bach que nos pareceram adequadas ao projeto. Depois, Anie Welter junto com as atrizes Nathalia Kwast, Renata Maciel, Aline Alves e Maiara Roqueti experimentaram movimentos, coreografias, interações e manipulação de objetos dos mais diferentes tipos. Convidamos duas especialistas em dança Barroca que ajudaram muito nesse processo”, conta o diretor. Ele lembra que o teatro é uma arte poderosa e que a fruição de bons espetáculos pode contribuir muito para que a criança interprete e interaja de forma saudável e criativa com a realidade.

O espetáculo mostra uma sequência de cenas organicamente relacionadas às músicas e cada uma delas se transforma em uma pequena narrativa, que se conecta com a linha geral da peça. A história se inspira, principalmente, em questões cosmológicas: a criação do universo, a origem e a evolução da vida, as forças da natureza e as articulações da cultura.“As crianças, mesmo as bem pequenininhas, ficam realmente encantadas, muito concentradas no que acontece durante a apresentação. Acredito que seja um mérito de Bach”, destaca Marcelo. As cenas mostram um precioso trabalho de pesquisa na expressão do corpo, cores, sons e formas.

O diretor lembra que o teatro é uma arte essencialmente coletiva e que a pesquisa teórica e prática, aliada aos instantes de experimentação, formam a base de apoio para um bom espetáculo, seja ele infantil, seja adulto. Entre as canções que entram em cena, aliadas ao trabalho cênico, estão composições clássicas do ilustre músico, entrelaçadas por um repertório escolhido a dedo para criar a melhor experiência teatral e sensorial para os espectadores, sejam eles crianças,  sejam adultos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade