Publicidade

Correio Braziliense

Banda Maneva lança clipe e revela os planos para 2018

O clipe de 'Pisando descalço' atingiu 1 milhão de visualizações no YouTube em menos de uma semana. Em entrevista ao Correio, o vocalista da banda conta os planos futuros


postado em 12/01/2018 16:30 / atualizado em 12/01/2018 19:34

A banda alcançou 1 milhão de visualizações no clipe de 'Pisando descalço' com menos de uma semana no ar(foto: Divulgação)
A banda alcançou 1 milhão de visualizações no clipe de 'Pisando descalço' com menos de uma semana no ar (foto: Divulgação)

 
A banda paulista Maneva é um grande sucesso na internet. Com mais de 430 milhões de visualizações em seus vídeos no YouTube, o grupo se firma como a nova geração do reggae brasileiro.

Na última sexta-feira (5/1), a banda lançou o clipe da já consagrada faixa Pisando descalço. O vídeo, com roteiro e objetos comuns que viram instrumentos musicais, completou 1 milhão de visualizações com menos de uma semana no ar. O vocalista da banda, Tales de Polli, contou ao Correio sobre os projetos (que já estão no forno) que vão desde um DVD acústico a filme de animação.
 
Com 13 anos de estrada, Maneva coleciona uma legião de fãs. Em 2016, a banda gravou um DVD em 2016 que lotou o Espaço das Américas e levou ao palco grandes nomes do reggae brasileiro como Tati Portella, da banda Chimarruts, e Armandinho. Neste ano, eles viajam pela segunda vez para tocar no Planeta Atlântida.

 

Entrevista // Tales de Polli, vocalista da banda Maneva

Vocês sempre foram uma banda de reggae? 
Nós sempre fomos uma banda de reggae e nos inspiramos em pessoas do gênero de gerações passadas. Durante a nossa trajetória, agregamos outros ritmos e elementos para além do reggae, mas somos essencialmente uma banda de reggae.

Por que fazer o clipe de uma música que já havia sido lançada há pelo menos cinco anos?
Os fãs pediam muito o clipe dessa música, mesmo não sendo um lançamento. Nós atendemos aos pedidos dos nossos fãs e foi uma escolha muito contente porque o resultado foi muito bom. Quando Pisando descalço foi lançada lá atrás, nós tínhamos trabalhos paralelos, não éramos só músicos. Lembro que estava compondo a música e faltava uma parte que eu finalizei no escritório onde trabalhava e daí veio a ideia de passar uma parte do clipe em um escritório, nós queríamos passar a mensagem de que não interessa onde você está ou a hora, se a inspiração bate, é hora de fazer música. O enredo do clipe veio muito de uma vontade de fugir do clichê do luau em um clipe de reggae.

Qual foi a parceria que vocês mais gostaram de fazer?
Olha, nós já fizemos vários shows maneiros com muitas participações legais, mas o que mais me marcou foi tocar com Zé Ramalho. Eu já fui músico de bar e tocava muitas músicas dele nessa fase, então foi muito especial ter tocado com ele.
 
Quais são os projetos para 2018? 
Em 2018, nós vamos lançar um DVD acústico para fechar um ciclo glorioso que tivemos desde o primeiro DVD até o Ao vivo em São Paulo que foi um grande sucesso. Estamos vivendo uma fase muito legal e queremos fechar com chave de ouro. Além do DVD, também estamos produzindo um filme de animação que conta a história da jornada humana, da evolução. Vai ser um trabalho bem legal. Estamos desenvolvendo toda a parte audiovisual desse filme que vai ser lançado lá pra 2019. Já o acústico é para celebrar uma nova fase e fechar um ciclo. Esse DVD ao vivo em São Paulo foi um sucesso e queremos encerrar esse ciclo de projetos pra ano que vem começar uma nova fase da nossa carreira no que diz respeito às músicas, ao conteúdo.
 
A última vinda da Maneva a Brasília foi há quase um ano. Já tem alguma previsão para uma nova visita? 
A gente sempre quer voltar para Brasília. É uma terra muito querida para nós, onde nos sentimos bem. Planos de voltar nós sempre temos. Esse ano, com certeza vai rolar alguma coisa.
 
No dia 4 de fevereiro, a banda sobe no palco do Planeta Atlântida, um dos maiores festivais de música do país. Qual é a sensação? 
Nós estamos tocando no Planeta Atlântida pela segunda vez. Nós tocamos no ano passado e foi a realização de um sonho. Crescemos ouvindo falar desse festival, assistindo na televisão. Ser uma das atrações é gratificantes demais, é a realização de um sonho.
 
Visto pela grande quantidade de visualizações no YouTube e de seguidores nas redes, a Maneva tem uma legião de fãs. Como vocês lidam com isso? Qual é a mensagem que vocês passam para o público jovem que segue a banda? 
Fã é uma coisa muito louca, é um amor muito doido. Você se sente amado e querido de verdade. Temos uma relação muito boa com nossos fãs. Temos o cuidado de ler o que eles estão falando e ter uma interação legal com eles. Não estar na grande mídia fortalece a nossa interação com eles nas redes também, temos um público fiel. A gente gosta muito de fazer as pessoas pensarem por meio das nossas letras e acho que a melhor idade para fazer as pessoas pensarem é quando jovem, quando o corpo e a mente ainda estão frescos para novas ideias, para pensar fora da caixinha. Esse é o grande lance da música: poder projetar nas pessoas uma fagulha de amor e coisas boas, e a música é uma ótima maneira de passar coisas boas. Foi assim que Bob Marley ensinou pra gente e assim fazemos com nossos fãs.

Assista ao clipe de Pisando descalço, da banda Maneva
 

 

*Estagiária sob a supervisão de Vinicius Nader

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade