Publicidade

Correio Braziliense

Coletivo promove ocupação no prédio abandonado do Touring, no SDS

Iniciativa do coletivo Crew.Za tornará o Touring espaço de ocupação cultural, festa amanhã abre espaço


postado em 18/01/2018 07:50 / atualizado em 17/01/2018 18:24

Relembrando velhos tempos, coletivos revitalizam o Touring para atividades culturais(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Relembrando velhos tempos, coletivos revitalizam o Touring para atividades culturais (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)

 
Parte da antiga sede do Touring Club do Brasil, localizada no Setor de Diversões Sul, próximo ao Conic e à Rodoviária do Plano Piloto, está abandonada há anos. O prédio, que é uma obra da parceria de Oscar Niemeyer e Lucio Costa, inicialmente era para ser uma área destinada à cultura. Nesta quinta-feira (18/1), só a parte subterrânea é usada, como uma rodoviária.

O projeto nunca saiu do papel, mas por uma iniciativa do coletivo Crew.Za, responsável pelo Sub Dulcina (Conic) e pelo selo Baladas em tempos de crise, o Touring se tornará espaço de ocupação cultural a partir de amanhã, quando o espaço recebe uma festa de inauguração do projeto.

“Quando fazíamos a festa Baladas em tempo de crise, que tinha como conceito fazer eventos com pouc grana, pensamos em criar um espaço que pudesse ter uma decoração barata. Nesse insight de fazer muito com pouco surgiu o Sub Dulcina, que se tornou um espaço para os coletivos de Brasília conseguirem fazer seus eventos. Também queríamos desestigmatizar o Conic, que sempre foi visto como um ponto de drogas”, explica Kaká Guimarães, um dos integrantes do Crew.Za.

Ainda como parte do projeto de acabar com a estigmatização do Setor de Diversões Sul, o coletivo teve a ideia de ocupar o espaço do Touring. Depois de ocupação bem-sucedida no túnel do Lago Norte, que liga um supermercado a um shopping center, o grupo percebeu que o prédio do Touring tinha um túnel com entrada e saída na praça do Conic, que passou uma revitalização. “Uma série de eventos tem sido feitos no centro da cidade muito por conta da Lei do Silêncio. Em cidades como o Rio de Janeiro, se você quiser sair pode ir para Lapa, estamos começando esse tipo de movimento no centro de Brasília. Depois da revitalização da praça, vimos que o túnel poderia ser aproveitado. Ele tem uma ótima acústica”, completa Guimarães.

Início


Na manhã da última quarta-feira (17/1), os integrantes do Crew.Za deram início à ocupação do espaço com a inserção de lambe-lambes concedidos pelo artista Leonardo Honda, o Mello, do coletivo Motim e pelo grupo Vote Nu. As artes são parte da cenografia que ganhou o nome de “remix de lambes”, uma reunião de diferentes ilustrações pelas paredes do túnel do Touring. A partir de amanhã, começa a pintura do espaço, que atualmente é repleto de pichações nas paredes, além da limpeza do local com ajuda de um caminhão-pipa e da inserção de uma instalação, em que serão feitas as projeções durante a festa de inauguração.

O primeiro evento do Túnel do Touring é nesta sexta-feira (19/1), a partir das 23h, e contará com DJs ligados a diferentes eventos e coletivos de Brasília: Kaká, do Crew.ZA; Simple Jack, da My House; Hopper, do 5uinto; Gustavo FK, da Traxx; Tony Rocks, do CCCP; e Guto Fernandez, do Tree Sixty One. O coletivo tem autorização da Administração de Brasília para ocupar o local até 9 de março.  Até lá, outras baladas da cidade devem realizar eventos no espaço. A programação será divulgada nos próximos dias.

Festa de inauguração do Túnel do Touring
 
(SDS, em frente ao Conic). Nesta sexta-feira (19/1), às 23h. Com os DJs Simple Jack, Hopper, Gustavo FK, Tony Rocks, Kaká e Guto Fernandez. Entrada a R$ 30 (meia e segundo lote). À venda no site www.sympla.com.br. Não recomendado para menores de 18 anos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade