Publicidade

Correio Braziliense

Revolucionária, 'Breaking bad' completa 10 anos neste sábado

Considerada uma das mais importantes produções feitas para a telinha, 'Breaking bad' ainda mantém fãs apaixonados pela saga de Walter White


postado em 20/01/2018 07:00

(foto: AXN/Divulgação)
(foto: AXN/Divulgação)

Dez anos atrás, em 20 de janeiro de 2008, Breaking bad estreava na tevê americana no canal AMC. Antes disso, a saga de Walter White tinha sido recusada por diversos canais dos Estados Unidos. A HBO, por exemplo, alegou que a produção não duraria muito. Ledo engano.

O drama criado por Vince Gilligan logo conquistou elogios rasgados da crítica e criou uma legião fiel de fãs. Ao contrário do que os canais esperavam, Breaking bad se tornou uma das mais aclamadas séries de todos os tempos e, para muita gente, colocou a televisão em um outro patamar narrativo.

Para se ter uma ideia de como Breaking bad é um sucesso avassalador, basta olhar os impressionantes números em premiações. Foram 230 indicações e 118 vitórias, com Emmys e Globos de Ouro nessa lista. Além disso, a produção foi parar no Guiness Book, em 2013, por ser a série mais bem avaliada da história, com nota 99 (de 100) no metacritic.com.

Inovação

Uma das grandes ousadias, apontou o próprio criador da produção, eram as mudanças drásticas no personagem principal. O protagonista Walter White (Bryan Cranston) começou como um simples professor de química, correto e com caráter incontestável. Isso até que um câncer o acometeu e o fez entrar na produção de metanfetamina para levantar dinheiro para o tratamento e para a família.
 
 

A reviravolta e a gradativa transformação de White em um vilão eram uma aposta diferente do que a televisão costumava optar. “Se houver alguma importância de Breaking bad na história da tevê, é a nossa tentativa de contar uma história que se centre em caráter de constante mudança. A tevê, me parece, protege muito bem suas franquias e personagens de mudanças assim”, disse Vince Gilligan, em uma entrevista para o Hollywood Reporter.

Quando pensou na história da série, Gilligan quis justamente trabalhar nessa ausência. Ele achava que faltava à telinha a ideia de crescimento e de mudança na vida dos personagens. “O que Breaking bad traz de novo é uma transformação fundamental do seu personagem principal. Para esse fim, a ideia aqui sempre foi levar nosso herói e transformá-lo em um vilão ao longo da série”, explicou.

Fãs fiéis

Com a ousadia, Breaking bad conseguiu se aprofundar (de uma maneira inovadora na tevê) na personalidade e nas motivações de Walter White. Esse foi um dos fatores que fisgaram diversos espectadores e fizeram com que eles se transformassem em fãs incondicionais da série.

É o caso do estudante de biologia Marcus Cruz, 19 anos. Ele elogia a densidade do roteiro de Breaking bad. “O enredo, a complexidade dos personagens, como eles se desenvolvem no decorrer da série, pra mim, é uma coisa fantástica”, destaca.

O bancário Leandro Reis, 26, elogia a maneira como a história é desenvolvida na produção. Para ele, nada é gratuito em Breaking bad. “Na minha opinião, a série tem um roteiro mais fechado e planejado, nada é forçado para encher linguiça e criar mais e mais temporadas sem sentido”, comenta.

Já o estudante de arquitetura Guilherme Sales, 22, elogia, principalmente, a construção dos personagens na série. A profundidade alcançada pela história de Vince Gilligan é uma das razões para a paixão pela produção. “Os personagens são construídos em diversas camadas. É bom demais, por exemplo, ver como a relação entre Jesse Pinkman e Walter White se desenvolve ao longo da narrativa”, opina.

Os aspectos técnicos

Se Breaking bad chamava a atenção pelo refino do enredo e pela dramaturgia, os aspectos técnicos da produção também se destacam. A fotografia caprichada e a utilização das cores dentro da narrativa (cada tom tem um significado na produção) fizeram com que a saga de Walter White ficasse ainda mais completa.

Foram esses aspectos) que conquistaram o gerente de TI Glauco Marinho, 23, mesmo que ele não fosse tão admirador de produções do gênero. “Não sou muito fã de séries ‘paradas’ ou lentas como Breaking bad, tive dificuldade nos primeiros episódios, mas, mesmo assim, decidi continuar a assistir por curiosidade, e a cada episódio gostava mais”, diz.

Ele destaca o visual da série. “Sou apaixonado pela fotografia (aqueles shots panorâmicos de longe, câmeras em locais inusitados). Após alguns episódios, eu já estava fascinado e esperava ansioso cada semana.”

ONDE ASSISTIR
Atualmente, a série completa está disponível no Brasil na Netflix

Gíria
Breaking bad é uma expressão do sul dos EUA que significa algo como “dar um passo fora da curva”
 
O enredo
Breaking bad conta a história de Walter White. No decorrer da série, o professor de química exemplar (mas quebrado) se transforma em um chefão do tráfico de metanfetamina ao lado de um ex-aluno. A produção se passa no Novo México e Walter entra no mundo das drogas inicialmente apenas para garantir dinheiro para a família depois de descobrir um câncer. Com a esposa Skyler, ele tinha dois filhos, a bebê Holly e Jr., um garoto com paralisia mental. 

Você sabia?
— Aaron Paul, que interpretou Jesse Pinkman, não fez qualquer curso de atuação. “Finja que você é outra pessoa e pronto”, disse o autor, certa vez.

— O vilão Gus Fring apareceria em poucos episódios, mas, quando convidado para mais alguns, o autor Giancarlo Esposito condicionou à volta a uma participação maior.

— Quando Jonathan Banks fez a audição para o papel de Mike, foi tão bem que a diretora de elenco escreveu na ficha dela: “Não poderia ser melhor”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade