Publicidade

Correio Braziliense

Lenda do jazz sul-africano, Hugh Masekela, morre aos 78 anos

Considerado o pai do jazz sul-africano e um dos ícones do anti-apartheid, Masekela morreu devido um câncer de próstata


postado em 23/01/2018 11:22 / atualizado em 23/01/2018 11:25

Hugh Masekela toca em um evento para celebrar os 10 anos de Liberdade da África do Sul, em 3 de março de 2004(foto: AFP/Arquivos / PRAKASH SINGH)
Hugh Masekela toca em um evento para celebrar os 10 anos de Liberdade da África do Sul, em 3 de março de 2004 (foto: AFP/Arquivos / PRAKASH SINGH)
A lenda do jazz sul-africano Hugh Masekela morreu nesta terça-feira (23/1), aos 78 anos, após uma luta contra um câncer de próstata. A informação foi divulgada pela família do músico, por meio da página oficial de Hugh Masekla no Facebook.

"Depois de uma longa e corajosa batalha contra um câncer de próstata, morreu em paz em Joanesburgo", informou a família em um comunicado. 

(foto: Facebook/Reprodução)
(foto: Facebook/Reprodução)


Hugh Masekela era considerado o pai do jazz sul-africano, além de ser um dos ícones da luta contra o apartheid, ao lado de Nelson Mandela. Após a notícia da morte do músico, autoridades sul-africana, como o presidente Jacob Zuma, lamentaram a morte do jazzista. 

"A nação chora por um de seus talentos mais renomados na pessoa do irmão Hugh Masekela. É uma perda incomensurável para a indústria da música e para o país inteiro. A contribuição dele para a libertação nunca será esquecida. Queremos prestar nossos sentimentos para a família e para seus pares na fraternidade das artes e da cultura. Que sua alma descanse em paz", lamentou o presidente sul-africano. 

A história de Hugh Masekela 

Hugh Masekela é conhecido mundialmente pelo talento na música e por ser uma das grandes figuras de militância contra o apartheid. Nos anos de 1960, fugiu do regime opressor da África do Sul ficando fora até a libertação do país em 1990.

Entre suas principais composições, se destacam as canções anti-apartheid, como Soweto blues e Bring him back home, em que pedia a libertação de Nelson Mandela, além de Grazing in the grass. Masekela tocou ao lado de astros de outros estilos, como Janis Joplin e Jimi Hendrix.

Seu último show solo aconteceu em Joanesburgo, em 2010, mesmo ano em que ele participou da cerimônia de abertura da Copa do Mundo da África do Sul. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade