Publicidade

Correio Braziliense

Opinião: A diversidade de temas marca as indicações para o Oscar

Longa 'A forma da água' larga na frente com a presença em 13 categorias


postado em 24/01/2018 09:03

O longa 'Corra!' aborda questões sobre libertação de preconceitos (foto: Internet/Divulgação)
O longa 'Corra!' aborda questões sobre libertação de preconceitos (foto: Internet/Divulgação)

A cerimônia de entrega do Oscar, em 4 de março, tem como protagonistas filmes ligados a tramas da libertação de preconceitos (presente em Corra! e Me chame pelo seu nome), títulos que trazem a afirmação da posição de destaque das mulheres nos dias de hoje (caso de The Post, Lady Bird e Três anúncios para um crime), e ainda a valorização de longas ligados a conflitos bélicos (retumbante em fitas como O destino de uma nação e Dunkirk).

Para os brasileiros, há motivo de torcida: o diretor Carlos Saldanha emplacou a segunda indicação ao prêmio máximo do cinema, desta vez com a animação O touro Ferdinando. Também no páreo está Rodrigo Teixeira, carioca e um dos coprodutores do longa Me chame pelo seu nome (que explora tema LGBTQ). Muito lembrado pela Academia, em anos anteriores, Woody Allen (diretor de Roda gigante) sumiu do mapa nesta temporada de premiações, depois da avalanche de acusações de abuso sexual que fez tremer Hollywood.

Constantemente acusada de racismo e de valorizar excessivamente profissionais homens, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (cujos integrantes votam o prêmio) parece ter se redimido (pelo menos nas aparências), às vésperas do 90º evento. Muitos indícios reforçam o arejamento: além de colocar em relevo o nome do mexicano Guillermo del Toro (que capitalizou 13 indicações para o filme A forma da água — centrado num fantasioso romance em meio à Guerra Fria), a Academia indicou a quinta diretora da história da instituição — se ganhar, aos 35 anos, Greta Gerwig será a mais jovem diretora premiada (por Lady Bird). Vale lembrar que apenas uma cineasta levou o Oscar de melhor diretora:  Kathryn Bigelow, com Guerra ao terror.

Vietnã


Mulheres de postura proativa despontam na lista. Uma verdadeira entidade que norteia o Oscar, a atriz Meryl Streep (de The Post), dona de 21 indicações, com três prêmios conquistados, surgiu, como esperado, entre as indicadas a melhor atriz, no papel de uma executiva de jornal que tomou decisões frontalmente incômodas para o governo americano, ao longo da evolução da Guerra do Vietnã.

Será difícil, entretanto, que Streep supere uma das colegas selecionadas para concorrer, Frances McDormand (de Três anúncios para um crime, que competirá em sete categorias). No filme, ela interpreta uma mãe inconformada com a ineficiência policial na resolução do caso da morte da filha dela. Frances parece imbatível e pode levar o segundo prêmio. Ganhou com Fargo (1997). Este ano, faturou os referenciais Globo de Ouro e prêmio SAG (atribuído pelo sindicato dos atores e atrizes).

O ator inglês Gary Oldman, também vencedor do Globo de Ouro e do SAG, chega à segunda indicação (depois de O espião que sabia demais) como franco favorito, por O destino de uma nação (em cartaz no Brasil). Na fita, ele interpreta o estrategista de guerra e primeiro-ministro Winston Churchill.

No páreo


Ele enfrenta a concorrência de artistas como Daniel Day-Lewis. Lewis, recentemente, anunciou a aposentadoria e  pode levar o quarto Oscar da carreira como melhor ator. Só quem fez algo parecido foi Katharine Hepburn. Trama fantasma foi uma das surpresas na lista anunciada, ontem, em Los Angeles, tendo abocanhado seis indicações. Distante do páreo desde Sangue negro, o diretor do filme, Paul Thomas Anderson, emplacou no gosto da Academia um enredo de amor entre um figurinista e a musa que toma o coração dele.

Para derrotar o cineasta Guillermo del Toro (pronto para seguir a trilha dos vitoriosos compatriotas Alejandro G. Iñárritu e Alfonso Cuarón), o diretor inglês Christopher Nolan terá muito trabalho, mesmo com um filme do potencial de Dunkirk, que mostra um dia de perdas para os alemães da Segunda Guerra. Com oito indicações, Dunkirk reafirma o gosto da Academia por enredos de combate, caso dos recentes Até o último homem, Sniper americano e A hora mais escura.

Duas vezes vencedor do prêmio de melhor direção, Steven Spielberg ficou de fora, desta vez, na categoria, ao concorrer com The Post. A repercussão de filmes de ficção como Avatar, A chegada, Mad Max, Perdido em Marte e Gravidade parece ter aberto caminho para A forma da água que, com 13 indicações, se alinhou a títulos bem relevantes do Oscar, entre os quais O curioso caso de Benjamin Button, E o vento levou e Forrest Gump.

Categorias


Abrindo caminhos para correntes progressistas na representação do Oscar, Corra! trouxe a surpreendente indicação para o diretor estreante negro Jordan Peele (aos 39 anos), enquanto Lady Bird sacudiu a carreira de Greta Gerwig que, ao abordar uma trama de amor maternal e de expansão de horizontes para uma jovem artista, teve o filme lembrado em cinco categorias, entre as quais a de melhor atriz para Saoirse Ronan (que já computa três indicações ao Oscar, com apenas 23 anos).

Além do drama Eu, Tonya (que trouxe indicações para as atrizes Allison Janney e Margot Robbie e ainda para a montadora Tatiana S. Riegel), outro filme bem valorizado foi Mudbound: Lágrimas sobre o Mississippi — em torno de segregação racial, pós-Segunda Guerra. Dirigido por Dee Rees (indicada pelo roteiro adaptado), o filme ainda ecoa prestígio para a rapper e atriz Mary J. Blige (indicada como coadjuvante e ainda pela composição de uma música), tendo emplacado a primeira vez no Oscar em que uma diretora de fotografia (Rachel Morrison) concorrerá.

Ganhador de dois Oscar, o ator negro Denzel Washington obteve, com o inédito Roman J. Israel Esq., a oitava candidatura ao Oscar. Daniel Kaluuya (por Corra!) também é outro nome na disputa dos melhores atores. Ainda entre os atores, Timothé Chalament (de Me chame pelo seu nome), aos 22 anos, se tornou o terceiro mais jovem competidor do Oscar central de atuação, superado apenas por Jackie Copper e Mickey Rooney.

filme
Me chame pelo seu nome 3  Dunkirk 3 O destino de uma nação 3  Corra!  3  The Post — A guerra secreta 3 Lady Bird — É hora de voar 3 A forma da água 3 Trama fantasma 3 Três anúncios para um crime

Direção
Guillermo del Toro (A forma da água) 3  Christopher Nolan (Dunkirk) 3  Paul Thomas Anderson (Trama fantasma) 3 Greta Gerwig  ( Lady Bird — É hora de voar) 3  Jordan Peele (Corra!)

Melhor ator
Timothée Chalamet (Me chame pelo seu nome) 3 Daniel Kaluuya (Corra!) 3 Gary Oldman (O destino de uma nação) 3 Denzel Washington (Roman J. Israel, Esq.)  3 Daniel Day-Lewis (Trama fantasma)

Melhor atriz
Sally Hawkins (A forma da água) 3  Frances McDormand (Três anúncios para um crime) 3 Meryl Streep (The Post — A guerra secreta) 3 Margot Robbie (Eu, Tonya) 3 Saoirse Ronan (Lady Bird — É hora de voar) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade