Publicidade

Correio Braziliense

Família confinada no BBB18 diz que intimidade entre pai e filha é normal

"Na casa da minha avó sempre foi assim", disse Ana Clara, filha de Ayrton. O relacionamento dos dois ganhou as redes sociais logo nas primeiras horas de confinamento


postado em 25/01/2018 00:44 / atualizado em 25/01/2018 00:58

(foto: Reprodução TV)
(foto: Reprodução TV)
 
A experiência de levar uma família para dentro da casa do Big Brother Brasil está sendo alvo de polêmica no reality show. Diante da repercussão das cenas de intimidade entre pai e filha, o apresentador do programa, Tiago Leifert, promoveu um momento "conheça a familia Lima", onde fez perguntas e deu a oportunidade para que pai e filha, bem como a matriaca e o sobrinho, que também estão na casa, pudessem se pronunciar. 

 
"Na casa da minha avó sempre foi assim", disse Ana Clara, filha de Ayrton. O relacionamento dos dois ganhou as redes sociais logo nas primeiras horas de confinamento. Selinhos demorados, abraços apertados e "grude", como eles mesmo definem, incomodaram os internautas, que tuitaram a tag #forafamílialima até colocá-la no Trend Topics do Brasil. 

Ayrton se defende e afirma que não há maldade em seus toques, direcionados principalmente a Ana Clara. "Beijo meus sobrinhos na boca. Beijo minhas sobrinhas na boca. E não tenho maldade nenhuma. É um gesto de carinho, de muito amor. Na minha família isso sempre aconteceu e sempre vai acontecer. Vai passar de geração em geração e é normal. É muito amor", define. 

O patriarca justificou suas atitudes, vistas por muitos intenautas como exageradas, devido à felicidade de estar na casa do BBB18. "No dia que eu cheguei aqui, eu estava com uma felicidade tão grande... Eu me emocionei. E aquele emoção que eu senti foi de muita alegria". "Dentro da família teve alguém que estranhou?", perguntou o apresentador. "Não", disseram pai e filha. 
 
Ver galeria . 16 Fotos Wagner, 35 anos, artista visual, Paraná - O participante parece um cara discreto, que prefere passar despercebido pelos lugares que habita -
Wagner, 35 anos, artista visual, Paraná - O participante parece um cara discreto, que prefere passar despercebido pelos lugares que habita -"Ele no BBB? Jamais imaginaria! Ele não gosta de holofote", explica sua mãe. Mas basta sentar para uma conversa com o curitibano que suas meias vermelhas, antes escondidas, aparecem e, com elas, todas as nuances encobertas pelas 43 tatuagens que marcam sua pele. A intensidade da relação com os filhos, o modo particular de se conectar com a natureza e o amor pela arte gritam em cada canto de seu apartamento e suas atitudes. (foto: Reprodução )
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade