Publicidade

Correio Braziliense

Ex-integrante do Pussycat Dolls acusa Jay-Z de ser traficante de drogas

Segundo Kaya Jones, que integrou o Pussycat Dolls, Jay-Z financiou sua gravadora por anos através do tráfico de drogas


postado em 30/01/2018 19:42

"Ele é traficante de drogas e um cafetão glorificado", acusou a cantora, ex-integrante das Pussycat Dolls (foto: AFP / Jewel SAMAD)


Kaya Jones, ex-integrante do Pussycat Dolls, publicou tweets polêmicos acusando o rapper Jay-Z, marido da diva pop Beyoncé, de ser um traficante de drogas e cafetão. Os comentários foram postados durante a cerimônia de premiação do Grammy, no domingo (28/1). “Jay Z usou drogas para financiar sua gravadora por anos. Ele dorme com mulheres jovens e promove o ódio à comunidade negra. Ele é traficante de drogas e um cafetão glorificado”, twittou a americana – que também já acusou o Pussycat Dolls de ser uma rede de prostituição.

 

Segundo a cantora, Jay-Z andava armado e já mostrou um revólver em um ambiente público. “Eu tinha 18 anos, estava tendo uma boa noite em Londres, quando ele transformou tudo em uma zona de guerra. Não me venha falar sobre ele. Estou ciente!”, escreveu. “Jay Z não fundou sua gravadora vendendo jornal no bairro, ok? Ele vendeu algo com o qual ele nomeou sua gravadora depois… Roc”. Roc – rock – crack rock. É isso que ela está falando: Jay Z vendia crack". Os tweets de Kaya acusando o rapper tem mais de quatro mil curtidas na rede social.


Leia as últimas notícias de Diversão e Arte

 

Em outubro do ano passado a cantora se envolveu em outra denúncia polêmica. Também através do Twitter, ela afirmou que a antiga banda da qual participava, Pussycat Dolls, era uma rede de prostituição. Em um dos posts, a Kaya escreveu: "Eu não estava em um grupo de meninas. E estava em uma rede de prostituição".

 

Segundo ela, as garotas do grupo eram exploradas e abusadas por executivos da gravadora. “Robin (Antin, fundadora do grupo) e a gravadora fizeram todo o dinheiro. Nós, como Pussycat Dolls, recebíamos US$ 500 por semana. Enquanto estávamos sendo abusadas e usadas”, escreveu na rede social. Kaya fez parte da primeira formação do girlgroup, antes da gravação do primeiro álbum, PCD, em 2005.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade