Publicidade

Correio Braziliense

BBB18: Mara ressalta 'machismo' dos brothers e critica edição do programa

Primeira eliminada do reality show, cientista política da UFMG analisa sua participação e diz ter se sentido prejudicada pelas imagens que foram ao ar


postado em 31/01/2018 10:21

Mara analisa sua participação no reality show durante participação no 'Mais você'.(foto: TV Globo/Reprodução)
Mara analisa sua participação no reality show durante participação no 'Mais você'. (foto: TV Globo/Reprodução)

 
Eliminada com 55% dos votos no primeiro paredão do Big Brother Brasil 18, a mineira Mara Telles esteve presente  no Mais você desta quarta-feira (31) para falar sobre sua participação no reality show. Em conversa com Zeca Camargo e Cissa Guimarães - que cobrem as férias de Ana Maria Braga -, ela afirmou que o ''machismo'' a fez ser eliminada do programa. 

''Desde o início, os meninos estavam fazendo um clube'', analisou. ''Viegas, Caruso, Wagner e Diego se juntaram e tinham uma habilidade estratégica que colocou três mulheres no paredão''. No último domingo (28), Mara foi indicada para a berlinda pelo líder Mahmoud, que já havia indicado a catarinense Ana Paula. A personal trainer Jéssica recebeu sete votos da casa, porém foi salva por Paula, que usou o poder do veto para salvar a amiga. 

Outra pessoa que tirou a cientista política do sério foi o cearense Lucas. Antes da prova da comida, o empresário pediu para Mara não participar por conta de um machucado no joelho. Diante da atitude dele, ela se revoltou. ''Não cabe a um homem definir o que a mulher deve fazer, não é assim que funciona, e foi exatamente isso que ele fez'', criticou. ''Por mais que ele dissesse que era igualitátio, ele sempre se apresentava com muito machismo, se colocando como o líder da casa. Tudo isso sem consultar ninguém''. 

De acordo com Mara, os homens esperavam que as mulheres agissem como ''figurantes''. ''Eu me coloquei como agente de igual para igual com eles. Fui lá para ganhar um milhão, mas eu também tinha um propósito de levantar a bandeira da luta contra a violência contra a mulher. E isso não está só na violência física, mas também na exclusão da palavra, o que ficou bastante claro lá dentro'', defendeu. 
 
Mara também aproveitou sua participação no programa matinal para criticar a edição do BBB18. Segundo ela, os brothers a isolaram dentro da casa, mas isso não foi mostrado nas imagens que foram ao ar.  ''Não apareceu, mas eu fui muito isolada pelos outros. Nas imagens, eu pareço a pessoa mais maquiavélica da história. Na verdade, eram eles que faziam as estratégias. Eu me senti muito excluída''. 

Erros

Durante a primeira semana de jogo, uma de suas principais estratégias era colocar Kaysar no paredão, pois ela o considerava um forte concorrente pelo prêmio de R$ 1,5 milhão. Em retrospecto, a professora avalia que não era o momento de conspirar contra o sírio. ''Eu, na verdade, era muito mais analista do que participante. Eu sou estudiosa da estratégia e essa foi péssima'', comenta. 

''Eu sabia tudo o que eu deveria fazer para permanecer por mais tempo: falar menos, ser menos intensa, articular para destruir alguém. Igual Lucas, que é um 'sabonete'. Ele te oferece café de um lado e te dá um tapa do outro'', analisa. ''Se eu continuasse, eu tentaria mudar, mas tenho certeza que não conseguiria''. 

Por fim, Mara adianta que pretende lançar um livro e escrever um blog sobre sua participação no reality show. Zeca Camargo, então, anunciou uma novidade. Todo ex-participante deverá escolher um confinado  para ficar imune de ser excluído da prova do líder. Mara garantiu a participação de Gleici. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade