Publicidade

Correio Braziliense

Diversidade latina toma conta de dois shows em cartaz nesta quinta

Rênio Quintas se apresenta no Clube do Choro e o cubano Félix Baloy, no Feitiço Mineiro


postado em 01/02/2018 07:30 / atualizado em 31/01/2018 18:17

 
Rênio Quintas: além das canções autorais, sucessos de Pixinguinha e Villa-Lobos(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Rênio Quintas: além das canções autorais, sucessos de Pixinguinha e Villa-Lobos (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
 
 
Um dos grandes nomes da música brasiliense, Rênio Quintas, agita o Clube do Choro como convidado do projeto Clube do Choro — 40 anos. “Tive a honra de ser convidado para a iniciativa, e fico muito feliz e gratificado de poder apresentar esse show ao público de Brasília”, destaca Rênio.

O maestro apresenta um concerto autoral e repleto de novidades: ao lado do baixista Sidnei Sheikor e do baterista Stive Marta, Rênio relança o disco As canções, de 2000. “A ideia foi fazer um apanhado da minha vida de músico para colocar no disco”, acrescenta Rênio. Além disso, o show conta com participação de Célia Porto, cantora e esposa do instrumentista, que interpretará três canções do repertório.

Durante o show, Rênio apresentará pela primeira vez a música Aurora, escrita exclusivamente para uma inédita minissérie de tevê. Ainda sem muitos detalhes sobre a produção, o maestro explica apenas que o conteúdo será veiculado em canais de tevê fechada e no YouTube.

Félix Baloy é um dos grandes nomes da música cubana contemporânea(foto: Feitiço Mineiro/Divulgação)
Félix Baloy é um dos grandes nomes da música cubana contemporânea (foto: Feitiço Mineiro/Divulgação)


Viva Cuba!


Outro nome que agita a noite da capital é Felix Baloy. Natural de Cuba, o cantor e percussionista é um dos grandes nomes da música atual no país. Ele é a atração de hoje no Feitiço Mineiro. Baloy revisita canções dos álbuns Baila mi son, Un poquito de fé e Um sono amor. “O repertório traz som cubano, bolero, chá-chá-chá, guarcha e até samba”, afirmou.

O cantor se apresenta acompanhado da banda Sabor de Cuba, que reúne integrantes da Ilha de Fidel, colombianos e brasileiros, e o grupo musical do filho, Felix Baloy Jr. A banda toca gêneros como rumba, salsa e cumbia, além de reggae jamaicano. “A musicalidade cubana é muito forte, a cultura deles é parecida com a nossa e lá também tem carnaval. Essa mistura nos mostra que brasileiros também são latinos”, explica a trompetista Juliana de Andrade.

* Estagiárias sob supervisão de José Carlos Vieira



Clube do Choro — 40 anos: Rênio Quintas Trio
Hoje e amanhã, a partir das 21h, no Clube do Choro de Brasília (SDC, B.G). Ingressos a R$ 20 (meia-entrada) e R$ 40 (inteira). Não recomendado para menores de 14 anos.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade