Publicidade

Correio Braziliense

CEO da FX comenta saída de Ryan Murphy do canal para a Netflix

Mudança de um dos maiores showrunners de Hollywood para a Netflix continua reverberando na indústria do entretenimento


postado em 15/02/2018 12:30 / atualizado em 15/02/2018 12:33

Ryan Murphy e John Landgraf: de parceiros a concorrentes(foto: Alberto E. Rodriguez)
Ryan Murphy e John Landgraf: de parceiros a concorrentes (foto: Alberto E. Rodriguez)
 
 
O novo contrato assinado entre o showrunner Ryan Murphy e a distribuidora e produtora de streaming Netflix é o assunto do momento. John Landgraf, o CEO do canal FX comentou por meio de uma nota ao portal Deadline que a nova fase de Murphy não significará perdas irreparáveis ao canal, que já tem “histórico de identificar e desenvolver escritores talentosos”.

“Por mais de 15 anos nós podemos aproveitar a incrível parceria com Ryan Murphy, e estamos felizes de poder continuar suas quatro séries atualmente em desenvolvimento”, afirmou o CEO, que ainda completou: “Com mais de 20 histórias originais chegando à FX no futuro, é seguro dizer que o canal tem um bem-sucedido histórico de identificar e desenvolver escritores talentosos que criam séries ganhadoras de prêmios, e continuará assim”.

FX e Murphy: uma história de sucesso


O showrunner chegou a – agora – ex-emissora ainda em 2003 trazendo a ousada história baseada na cultura zeitgeist: Nip/Tuck. A trama dos dois cirurgiões plásticos em ascensão na terra da vaidade chamou a atenção do público com o tom satírico misturado a um leve terror dramático, que em pouco tempo se tornaria o clássico traço criativo de Murphy na televisão.

Nip/Tuck foi a segunda série original do FX – que antes tinha já Shield – e ajudou o canal a não só se posicionar no patamar de criação da TV a cabo norte-americana, como também a entrar no circuito de premiações do país. Atualmente, Ryan Murphy tem quatro produções na ativa na FX: American horror story, American crime story, Feud e Pose (drama de época que estreará até o fim do ano).

Landgraf chegou a liderança do canal quase em paralelo com a chegada de Murphy com Nip/Tuck ainda em 2003 e muitos associam o sucesso de suas séries graças a parceria. American horror story e American crime story são as duas séries de maior audiência da FX. 

A saída de Murphy para a Netflix foi feita sobre um acordo de R$ 300 milhões, de acordo com o Deadline.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade