Publicidade

Correio Braziliense

Centro de Dança do DF reabre após cinco anos fechado

A reabertura faz parte da Política de Estímulo e Valorização da Dança


postado em 27/02/2018 15:20 / atualizado em 27/02/2018 15:21

O espaço estava fechado desde 2013 e em obras desde 2015(foto: AndreAbrahao/Divulgacao)
O espaço estava fechado desde 2013 e em obras desde 2015 (foto: AndreAbrahao/Divulgacao)
A partir de quarta-feira (28/2), o Centro de Dança do Distrito Federal será reaberto. O evento de reabertura contará com a presença do governador Rodrigo Rollemberg, do secretário de Cultura Guilherme Reis, além de autoridades e representantes da dança na capital. A revitalização do espaço faz parte da Política de Estímulo e Valorização da Dança, um projeto lançado pelo governo do Distrito Federal, em agosto de 2017.

A cerimônia contará com artistas do Distrito Federal fazendo performances de dança e também com a abertura da exposição fotográfica Dança e memória, que ficará em cartaz até junho. A mostra tem cerca de 30 fotos de artistas e grupos que vêm construindo a cena da dança do DF. As primeiras convocatórias públicas de ocupação do espaço serão lançadas na mesma noite.
 
A programação de 2018 se inicia com o Seminário Abre Alas, que será realizado de 1º e 3 de março, em que serão debatidas junto à classe artística e ao público as pautas que serão desenvolvidas ao longo do ano dentro do espaço, que terá com atividades gratuitas das 14h às 19h30. Confira a programação completa do seminário aqui.

 
Reabertura do Centro de Dança do DF 


As reformas do Centro de Dança do DF foram financiadas pela Terracap (Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal), com valor aproximado de R$ 3,2 milhões. Após a reforma, o espaço tem cinco salas destinadas às práticas corporais; sete salas para práticas de produção, gestão e reflexão teórica; videoteca; jardim interno, salão de estar e cozinha.

O Centro de Dança terá gestão da Secretaria de Cultura em parceria com a Associação Conexões Criativas, organização civil selecionada por meio de chamamento público. A parceria visa promover a produção, a promoção e a internacionalização de obras e artistas, fortalecendo a difusão da dança e o desenvolvimento do setor. As atividades terão cunho de formação, processos criativos, qualificação, inovação e intercâmbio artísticos, com a cooperação da comunidade.

Em 2018, para os dez meses de atividade, o orçamento total será de R$ 600 mil. A cada três meses, serão desenvolvidas programações em três módulos: Dança e memória, Dança e diversidade, a partir de julho; e Dança e infância, com início em setembro.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade