Publicidade

Correio Braziliense

Sob novo comando, Weintein Company terá gestão feminina

Contreras-Sweet comprou ativos da produtora e diz que o conselho será composto principalmente por mulheres


postado em 03/03/2018 09:40 / atualizado em 03/03/2018 09:43

Weinstein foi demitido da própria empresa no ano passado após ser acusado de abuso sexual (foto: Reprodução/Internet)
Weinstein foi demitido da própria empresa no ano passado após ser acusado de abuso sexual (foto: Reprodução/Internet)

 
Fechada após acusações de abuso sexual contra o cofundador da empresa, a Weinstein Company agora terá chefia feminina. Maria Contreras-Sweet, ex-funcionária do governo norte-americano durante a gestão Barack Obama, adquiriu ativos da produtora. Entre as reformulações na companhia planejadas por Contreras-Sweet, está fazer um conselho composto majoritariamente por mulheres para contornar as alegações que levaram os estúdio à beira da falência.

Weinstein Company foi um principais estúdios de Hollywood, responsável por produzir alguns dos maiores sucessos de bilheteria e de premiação, como os aclamados O discurso do rei e o O lado bom da vida. O reality show de moda Project runway também foi produzido pela empresa.

O estúdio foi criado em 2005 e desde então ditou tendências no cinema independente, além de ser famoso por preparar campanhas arrebatadoras para o Oscar.

A derrocada veio após 70 mulheres levarem à tona situações de má conduta sexual, que inclui estupro, por parte do cofundador Weinstein — apesar dele negar ter feito sexo não consensual com alguém. Angelina Jolie, Ashley Judd e Gwyneth Paltrow estão entre as vítimas do ex-produtor. Weinstein foi demitido da própria empresa em outubro de 2017 depois das alegações contra ele.

À imprensa Contreras-Sweet afirmou que “o próximo passo representa o melhor caminho possível para apoiar as vítimas de proteger os funcionários”. Ao todo, 150 postos serão mantidos. Será feito também um fundo de indenização às vítimas para cobrir o seguro das pessoas afetadas. 

O interesse de Contreras-Sweet se tornou conhecido em novembro do ano passado. Segundo o portal Indiewire, a empresa passará a ter outro nome, que ainda não foi anunciado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade