Publicidade

Correio Braziliense

Escritora brasiliense estará na Primavera Literária Brasileira, em Paris

Produção brasiliense ganha destaque, com nomes que incluem Paulliny Gualberto, autora de 'Allegro ma non troppo'


postado em 06/03/2018 06:18

Paulliny Gualberto está entre os convidados da Primavera Literária Brasileira, em Paris(foto: Marcello Casal/Divulgação)
Paulliny Gualberto está entre os convidados da Primavera Literária Brasileira, em Paris (foto: Marcello Casal/Divulgação)
 

 

A escritora brasiliense Paulliny Gualberto Tort, autora do romance Allegro ma non troppo, está entre os 50 convidados da Primavera Literária Brasileira, em Paris. Organizado por Leonardo Tonus, pesquisador e professor de estudos lusófonos na Universidade Sorbonne, a quinta edição do evento reúne escritores, ilustradores e ensaístas brasileiros em palestras e encontros com o público em várias instituições entre os dias 14 de março e 10 de maio. Este ano, além de Paris, a Primavera também terá programação em Bruxelas (Bélgica) e Luxemburgo.


Paulliny vai participar de todas a setapas do evento, que inclui também um encontro com o público no Salão do Livro de Paris. Além da autora, participam da Primavera Literária os escritores Maurício de Almeida e Alexandre Vidal Porto, ambos com ligação com Brasília por terem morado na capital. No Salão do Livro, Paulliny e Almeida integram mesa sobre a nova literatura brasileira ao lado da paulistana Aline Bei (O peso do pássaro morto). Em outro encontro, Paulliny estará ao lado do português Almeida Faria, uma das referências do brasileiro Raduan Nassar. “Estou muito ansiosa por esse encontro”, adianta a autora, que já participou de eventos de literatura no Brasil, mas nunca no exterior.

Entre os convidados do evento, estão alguns dos nomes que ganharam destaque nos prêmios de literatura brasileira dos últimos anos. Julian Fuks, vencedor dos prêmios Jabuti e Oceanos, está na lista ao lado de Adriana Calcanhoto, Adriana Lisboa, Cíntia Moskovich, Carola Saavedra e José Luiz Passos, vencedor do Portugal Telecom.

A Primavera começou com encontros menores dentro do programa dos cursos da Sorbonne e ganhou uma dimensão maior nos últimos anos. Tonus levava autores brasileiros para conversar com seus alunos e percebeu que havia demanda por algo maior. O evento cresceu e começou a transitar em outras universidades e instituições culturais de Paris e, em 2014, nasceu a Primavera Literária. Este ano, haverá um braço do encontro nos Estados Unidos.

Para os autores, é a oportunidade de divulgar o trabalho além-mar. “Acho que isso ajuda quem quer batalhar por uma tradução do livro e conquistar um público fora”, acredita Paulliny. “E temos que lembrar que é um evento para falar para pessoas que estudam a língua portuguesa e que querem conhecer os autores e a literatura brasileira. É uma oportunidade de criar uma rede de contatos.”

Allegro ma non troppo é o primeiro romance da autora e narra a trajetória de um músico em busca de um irmão perdido no Planalto Central. Maurício de Almeida é autor de Beijando dentes (2008) e Instrução da noite (2016) e Alexandre Porto Vidal publicou Matias na cidade (2005) e Sergio Y. vai à América (2012).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade