Publicidade

Correio Braziliense

Seminário debate a mulher em profissões técnicas relacionadas à cultura

O evento é realizado em Brasília desde 2016 e terá uma nova edição a partir desta quarta até 24 de março.


postado em 07/03/2018 07:00

A cantora Ellen Oléria se apresenta na programação Semina acústica no próximo dia 17, no Foyer da Sala Villa-Lobos(foto: André Violatti/Esp. CB/D.A Press 22/4/15)
A cantora Ellen Oléria se apresenta na programação Semina acústica no próximo dia 17, no Foyer da Sala Villa-Lobos (foto: André Violatti/Esp. CB/D.A Press 22/4/15)


As profissões técnicas ligadas à cultura são predominantemente ocupadas por homens. Esse cenário inspirou a criação do Semina — Seminário Equidade de Gênero nas Profissões da Cultura —, realizado em Brasília desde 2016 e que terá uma nova edição a partir desta quarta (7/3) até 24 de março. “Na primeira edição, o questionamento era: “Onde estão as mulheres nas profissões técnicas da cultura?” Então, oferecemos cursos na área de sonorização, iluminação e videomapping, e tivemos uma surpresa. Eram 30 vagas, mas recebemos 300 inscrições. Com isso refletimos que existe uma grande demanda e interesse das mulheres por essas profissões, em que elas ainda são minoria ou sequer estão presentes. O desafio do Semina é discutir e diminuir essa desigualdade”, afirma Jaqueline Fernandes, subsecretária de Cidadania e Diversidade Cultural.

Essa será a terceira edição do Semina, que chega com uma programação bastante diversa — indo do hip-hop às artes visuais — e descentralizada — de Brasília a Planaltina — e também com um resultado claro das edições anteriores. O terceiro ano do seminário marca a consolidação de uma política distrital de equidade de gênero em Brasília, que será publicada no Diário Oficial no Dia Internacional da Mulher, que é celebrado em todo o mundo amanhã.

“É uma política relacionada ao fomento do protagonismo das mulheres nas profissões da cultura. Ela estabelece que eventos como o Semina e, principalmente produzidos pela Secretaria de Cultura, tenham uma ouvidoria especial para situações relacionadas à violência contra a mulher e abuso. Fala também de equiparação de vagas para as mulheres da cultura nos conselhos e nas instâncias de participação da Secretaria de Cultura e ainda institui um prêmio de reconhecimento das mulheres”, adianta Jaqueline.

A abertura do evento será hoje, com programação das 10h às 17h, na penitenciária feminina do DF, a Colmeia. No local, será oferecida uma oficina de texto e poesia promovida por Poliana Martins para as detentas. A programação geral tem início amanhã com a publicação da portaria e o lançamento do evento Hip-hop mulher: A ocupação, que segue até sábado, no Conic, com mais de 30 atrações da cultura urbana. Nomes como Donas da Rima e Poetisas do Gueto estão entre as artistas confirmadas. “A primeira edição estava mais voltada para as discussões das profissões técnicas. Na segunda, sobre a área de produção cultural. Neste terceiro ano, temos um pouco de tudo”, completa a subsecretária.

Programação diversa

Depois, a programação retorna na próxima semana com o 1º Encontro da Rede de Mulheres nas Artes Visuais, no auditório II do Museu Nacional da República. Das 10h às 22h, o evento terá oficinas, mesas redondas e debates específicos à equidade de gênero nas artes visuais. Dia 17, duas novas programações chegam ao Semina. A primeira delas é a Feira de Mulheres Empreendedoras, nos dias 17 e 18, no Foyer da Sala Villa-Lobos, no Teatro Nacional Claudio Santoro. Apenas no dia 17, o mesmo espaço recebe das 19h às 22h a Semina acústica, com shows de Consuelo, Luedji Luna e Ellen Oléria.

Em 18 de março, é a vez da literatura ser abordada na terceira edição do Semina, por meio da Palavra Preta. O evento é uma mostra de escritoras negras e também um sarau musical. A programação será das 17h às 21h, no Foyer da Sala Villa-Lobos, e contará com a presença de nomes como Mel Gonçalves, Cleudes Pessoa, Lara Khyshna, Sam Defor, Tatiana Nascimento e Rosa Luz.

A Palavra Preta ainda terá mais uma edição no encerramento, em 24 de março, em uma união do evento com o coletivo Comuna Panteras Negras. A sequência será no Assentamento Pequeno William, em Planaltina, das 9h às 23h. Entre as atrações estão nomes como Luana Morena (lançamento do livro A revolta dos feios), Aryane Lana (pré-lançamento da obra Não leia esse livro), Ana Flávia e Leia Rocha (música), Prethaís (poesia), Camila Ribeiro (performance Desembranquecendo) e Martinha do Coco.
 
3º Semina (Seminário Equidade de Gênero nas Profissões da Cultura)
De 7 a 24 de março

Oficina de poesia
Colmeia (Penitenciária Feminina do Distrito Federal). Em 7 de março, das 10h às 17h. Com Poliana Martins. 20 vagas por turma. Apenas para o público interno.

Hip hop mulher: A ocupação
Conic. De 8 a 10 de março, a partir das 19h. Entrada franca.

8/3

19h – DJ Prix e Gigantes de rua
19h25 – Grupo Charadas
19h35 – Anny Vox e Mina Lú
19h55 – Isa Lacerda e Mina Tay
20h15 – Relato Feminino
20h30 – Lidhy7
20h45 – Chely Etnia
21h – Paula Hosana
21h15 – Guerreira Lílian
21h35 – Donas da Rima

9/3

19h – DJ Rachel e Guetto Crew
19h30 – Poetisas do Gueto
19h50 – Débora Valente
20h05 – Priscila Pascoal
20h15 – Prethaís
20h30 – Saphira
20h45 – Fernanda Brasil
20h55 – Rebeca Realleza
21h10 – Lídia Dallet
21h30 – Belladona

10/3

17h – Batalha das Guria e as Grafiteiras DF/Ent
19h – DJ Eldy e Michelle Reis
19h30 – Dree-K
19h40 – Ketlen Hoop
19h50 – Brenda Emanuelly
20h – Tayna CB
20h10 – Dona Rayla
20h25 – Minas de Stylu
20h40 – Minas do Gueto
21h – Cléo Street
21h30 – Atitude Feminina

1º Encontro da Rede de Mulheres nas Artes Visuais
Auditório II (Museu Nacional da República). Em 16 de março, das 10h às 22h. Com Oficinas, mesas redondas e debates relacionados à equidade de gênero nas artes visuais. Entrada franca. 

Feira de Mulheres Empreendedoras
Foyer da Sala Villa Lobos (Teatro Nacional Claudio Santoro). Em 17 e 18 de março, das 14h às 22h. Entrada franca. 

Semina acústica
Foyer da Sala Villa Lobos (Teatro Nacional Claudio Santoro).  Em 17 de março, das 19h às 22h. Com Consuelo, Luedji Luna e Ellen Oléria. Entrada franca.

Palavra Preta
Foyer da Sala Villa Lobos (Teatro Nacional Claudio Santoro). Em 18 de março, das 17h às 21h. Entrada franca.

19h – 19h20 Mel Gonçalves GO (performance Para Eva: Resiliência)
19h25 – 19h45 Cleudes Pessoa (poesia)
19h50 – 20h10 Lara Khyshna (música)
20h15 – 20h45 Sam Defor (música)
20h50 – 21h20 Tatiana Nascimento (música)
21h25 – 21h55 Rosa Luz (música)

Comuna Panteras Negras + Palavra Preta
Assentamento Pequeno William (Planaltina/DF). Em 24 de março, das 9h às 23h. Entrada franca.

8h às 8h30 – Chegada da primeira van
8h30 às 9h30 – Café da manhã
9h30 às 11h30 – Brincadeiras e danças populares com a CIA Burleska
9h30 às 12h30 – Visita e Roda de apresentação da história do Assentamento Pequeno Willian da Comuna Panteras Negras e da Biblioteca Carolina Maria de Jesus
11h30 às 12h30 – Piscina para as crianças
12h30 às 13h30 – Almoço
14h às 16h – Feira de troca de sementes
14h às 15h30 – Oficina de turbantes
14h às 15h30 – Oficina da Tia Maricota (crianças)
15h30 às 16h – Coffee break (lanche da tarde)
16h às 18h – Contação de história de Pedro Malasarte (Cia Burleska)
16h00 às 16h15 – Luana Morena – lançamento do livro A revolta dos feios (Ed. Buriti)
16h20 às 16h35 – Aryane Lana – pré-lançamento do livro Não leia esse livro (Projeto Escrevivências/Padê Editorial)
16h40 às 17h – Ana Flávia e Leia Rocha – música
17h05 às 17h20 – Prethaís – poesia
17h25 às 18h – Camila Ribeiro (GO) – performance Desembranquecendo
18h00 às 19h30 – Coffee break
18h30 às 19h – Microfone aberto
19h00 às 19h30 – Inauguração oficial da Biblioteca Carolina Maria de Jesus
19h30 às 20h – Pré-lançamento do livro Sangrando Feminino (Amandara Yin)
20h às 21h – Martinha do Coco
21h às 23h – Sarau Panteras Negras
22h – Retorno/ vans

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade