Publicidade

Correio Braziliense

Mulheres das áreas musical e literária terão voz em shows e palestras

Luedji Luna, Ellen Oléria, Cleudes Pessoa e Rosa Luz são algumas das artistas do projeto Semina


postado em 15/03/2018 07:33

Inspirada por Ellen Oléria, a cantora Luedji Luna se apresentará na capital(foto: Facebook/ Reprodução)
Inspirada por Ellen Oléria, a cantora Luedji Luna se apresentará na capital (foto: Facebook/ Reprodução)

 
Iniciado na semana passada, o 3º Semina — Seminário Equidade de Gênero nas Profissões da Cultura — segue com programação até 24 de março em Brasília. Dentre as opções do fim de semana estão os projetos Semina acústica, com atrações musicais no sábado (dia 17/03), e Palavra preta, uma mostra apenas com autoras negras, que será realizada no domingo (dia 18/03).

Nas duas programações, um nome em comum: o da baiana Luedji Luna. A cantora ganhou destaque no cenário musical no ano passado ao lançar o álbum Um corpo no mundo, o primeiro da carreira. Ao mesmo tempo em que se dedica à carreira musical, Luedji é uma das idealizadoras do Palavra preta, ao lado da brasiliense Tatiana Nascimento. O projeto, que valoriza a literatura feita por mulheres negras, chega a Brasília pela segunda vez. Antes, esteve na programação do Festival Latinidades.

“Eu já toquei em Brasília em pocket shows, mas essa será a primeira vez que vou com uma banda. Estou indo para a capital por duas razões: para apresentar esse meu trabalho (Um corpo no mundo) no show do dia 17 e também por conta do Palavra preta, que organizamos desde o ano retrasado. É uma mostra que reúne compositoras e poetas negras de todo o Brasil”, explica.



Mundo da música

A primeira apresentação da atual turnê de Luedji Luna em Brasília será no sábado, a partir das 20h, no Foyer do Teatro Nacional Claudio Santoro. O show será baseado no álbum, que tem 11 canções, entre elas, a faixa-título e as músicas Dentro ali, Acalanto e Cabô. O material é inspirado na diáspora africana e tem referências de estilos como samba e reggae.

O Semina acústica também terá a presença da brasiliense Ellen Oléria, que, coincidentemente, foi a principal influência para que Luedji decidisse seguir a carreira musical. “Eu tinha muito uma crise de referência. Eu não encontrava na mídia uma cantora e compositora preta com grande visibilidade. Depois que a Ellen ganhou o The voice, ela teve uma audiência muito grande, foi ovacionada sendo negra, lésbica, gorda e compositora”, revela. Luedji ainda emenda: “Eu sempre escrevi desde a minha adolescência, ela me deu coragem para eu seguir com a minha decisão de viver da música”. Esse será o primeiro encontro das cantoras.

Influenciada pela boa repercussão de Ellen, Luedji começou a fazer aula de canto e se apresentar nos bares de Salvador, em recitais e em teatros. “Aos 27 anos, decidi vir para São Paulo e conseguir, de fato, fazer a minha carreira se consolidar. Em outubro do ano passado, lancei uma música sobre essa minha partida a São Paulo, Um corpo no mundo e viralizou”, lembra.



Semina acústica
Foyer da Sala Villa-Lobos (Teatro Nacional Claudio Santoro). Sábado (dia 17/03), das 19h às 22h. Com Consuelo, Luedji Luna e Ellen Oléria. Entrada franca. Não recomendado para menores de 18 anos.


Palavra preta — Mostra nacional de negras autoras
Foyer da Sala Villa-Lobos (Teatro Nacional Claudio Santoro). Domingo (dia 18/03), das 17h às 21h. Com Mel Gonçalves, Cleudes Pessoa, Lara Khyshna, Sam Defor, Tatiana Nascimento e Rosa Luz. Entrada franca. Não recomendado para menores de 18 anos.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade