Publicidade

Correio Braziliense

Netflix inaugura "loja da corrupção" no aeroporto de Brasília

Loja fictícia é parte de uma ação para divulgar a série 'O mecanismo', que é inspirada na Operação Lava-Jato


postado em 26/03/2018 17:59 / atualizado em 26/03/2018 18:48

Ver galeria . 7 Fotos Reprodução
(foto: Reprodução )
 
Lançada na última sexta-feira (23/3), a série O mecanismo tem provocado polêmica. Inspirada na Operação Lava-Jato e dirigida pelo brasileiro José Padilha, a nova aposta da Netflix foi alvo de críticas da ex-presidente Dilma Rousseff. Nesta segunda-feira (26/3), a obra ganhou mais um capítulo fora das telas. É que, para divulgar a produção, a Netflix construiu uma "loja da corrupção" no aeroporto de Brasília.

Entre os itens que podem ser encontrados na loja fictícia estão uma cueca doleira, o livro "Delação premiada para leigos" e capinhas decorativas para tornozeleiras eletrônicas. De acordo com a Inframérica — consórcio que administra o aeroporto — o stand publicitário foi instalado na área do desembarque doméstico do terminal.

Esta não é a primeira ação da Netflix para divulgar a série. No começo do mês, quem passou pela ponte Honestino Guimarães (SCES Tr. 2), nos últimos dias, se deparou com um enorme outdoor batizado de "corruptômetro".

Críticas

Em nota, a ex-presidente Dilma Rousseff — que na série pode ser comparada à personagem Janete — chamou a produção de "mentirosa e dissimulada" e acusa o diretor José Padilha de criar "fake news". As declarações animaram os ânimos nas redes sociais. Tanto que a tag #OMecanismoCausando passou a tarde desta segunda-feira na lista dos assuntos mais comentados do país no Twitter.

Confira algumas publicações:

 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade